Notícia

Aprovado empréstimo de R$ 814 milhões para o governo do ES

Assembleia autorizou o Executivo a contrair um empréstimo com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para a realização de obras de infraestrutura

Palácio Anchieta: empréstimo com o BID para obras
Palácio Anchieta: empréstimo com o BID para obras
Foto: Marcelo Prest

Assembleia Legislativa autorizou nesta terça-feira (16) o governo do Estado a contrair um empréstimo de US$ 216,8 milhões (ou R$ 814,28 milhões) com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O Executivo havia enviado dois projetos de lei ao Legislativo pedindo empréstimos junto à instituição financeira na casa de R$ 1 bilhão para obras em estradas e creches.

O dinheiro do empréstimo autorizado nesta terça deve ser aplicado em obras de infraestrutura, como estradas. O pedido de urgência feito pelo líder do governo, Enivaldo dos Anjos (PSD), foi aprovado em sessão ordinária e o projeto, logo depois, já em sessão extra.

> Assembleia do ES afrouxa regra e abre brecha para servidor fantasma

O deputado Lorenzo Pazolini (sem partido) foi um dos contrários à medida, não em relação ao mérito, mas ao que considerou falta de informações técnicas sobre o empréstimo. Vandinho Leite (PSDB) lembrou ainda que recentemente a Casa aprovou o Fundo Soberano e o Fundo de Infraestrutura, de onde o governo poderia obter recursos para investimentos. Mas a vitória do governo foi relativamente folgada.

Na hora de votar outro projeto que trata de empréstimo com o BID – US$ 73,6 milhões (R$ 276,43 milhões) para creches –, no entanto, Vandinho pediu vista. Isso quer dizer mais tempo para analisar a proposta, ainda que ele tramite em regime de urgência. O deputado é o relator da proposta na Comissão de Educação.

> Deputados do ES aprovam criação de 307 cargos de assessores no MPES

De acordo com Marcelo Santos (PDT), 1º vice-presidente da Mesa Diretora, "se o presidente (Erick Musso) entender (desta forma), o prazo dele pode vencer até amanhã (hoje) e a matéria chegar ao plenário para deliberação".

Ver comentários