Notícia

"Governo do ES é contrário à política ambiental federal", diz secretário

Tyago Hoffmann defendeu que a floresta não pode ser destruída para receber plantações e gado

Imagem de 17 de agosto de 2019 mostra um incêndio na Amazônia, no Tocantins
Imagem de 17 de agosto de 2019 mostra um incêndio na Amazônia, no Tocantins
Foto: Dida Sampaio/Agência Estado

O secretário de Governo do Espírito Santo, Tyago Hoffmann, afirmou na tarde desta sexta-feira (23) que o governo do Estado é "radicalmente contra" as políticas ambientais que vêm sendo adotadas pelo Executivo federal. Ao ser questionado a respeito do posicionamento do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em relação às queimadas na Amazônia, que vem minando a imagem do país no exterior,  Hoffmann foi categórico. “O Estado se posiciona a favor de uma política ambiental que respeite a Amazônia. Não dá para tratar com uma política ambiental como a que vem sendo feita pelo governo federal”, defendeu.

> Como os impactos das queimadas na Amazônia afetam os moradores do ES? 

O secretário deu a declaração em entrevista sobre o Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud), que acontece neste fim de semana no Palácio Anchieta, em Vitória. Hoffmmann ainda disse que a Amazônia é um patrimônio brasileiro e mundial e que é preciso debater a sua 

Essa matéria foi escrita por Ana Clara Morais, do Curso de Residência
Essa matéria foi escrita por Ana Clara Morais, do Curso de Residência
Foto: Divulgação

preservação, para não deixar que o território simplesmente seja destruído. “Não podemos deixar a

Amazônia acabar para receber plantações e gado

”, afirmou.

REUNIÃO DE GOVERNADORES

O tema da preservação da Amazônia não está na pauta dos assuntos que serão discutidos pelos governadores dos Estados das regiões Sul e Sudeste no encontro do Cosud

Mas Hoffmann não descarta a possibilidade do grupo se posicionar sobre o assunto. “A pauta foi definida há muitos meses, nos últimos encontros do consórcio, e por isso esse assunto não está previsto, mas se vier a tona, o Espírito Santo se posicionará favorável à defesa da floresta. Caso os Estados estejam com posicionamento semelhante, podemos colocar na carta de Vitória alguma manifestação sobre o tema”, finalizou.

>Protestos em defesa da Amazônia acontecem na Europa e na Ásia

 

 

Ver comentários