Notícia

Os erros e acertos de Aridelmo em entrevista à CBN

Candidato acertou dados sobre escola de tempo integral, mas errou ao falar sobre plataforma de contribuições aos planos de governo

A âncora Fernanda Queiroz, o candidato Aridelmo Teixeira e o colunista Vitor Vogas no estúdio da CBN
A âncora Fernanda Queiroz, o candidato Aridelmo Teixeira e o colunista Vitor Vogas no estúdio da CBN
Foto: Daniel Marçal

Na disputa para o governo do Estado, Aridelmo Teixeira (PTB) apresentou dados verdadeiros, mas também cometeu erros em entrevista à Rádio CBN Vitória, na manhã deste sábado (1º).

Ele acertou ao falar da atual taxa de homicídios do Espírito Santo e do número de escolas em tempo integral em funcionamento em território capixaba.

No entanto, uma das falhas do professor de Finanças foi sobre ser o único candidato ao Palácio Anchieta a disponibilizar, na internet, uma ferramenta para os eleitores apresentarem sugestões de políticas públicas.

As declarações dele foram verificadas pelo Gazeta Online, que tem analisado o discurso de todos os candidatos a governador. Entenda o nosso método de checagem.

AS DECLARAÇÕES

Você pega um Estado que tinha 40 mortes a cada cem mil. Hoje está com 29

Aridelmo Teixeira disse que, hoje, a taxa de homicídios no Estado é de 29 por cem mil habitantes. O candidato baseou-se em dados de 2018 da Secretaria Estadual de Segurança Pública consolidados até 28 de agosto. Foram 746 homicídios, no período. Como o Espírito Santo tem 3.972.388 moradores, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é possível apontar uma taxa de 28,19 mortes a cada 100 mil habitantes.

O número é próximo àquele apontado pelo candidato como sendo o atual. Portanto, consideramos a informação verdadeira, embora o ano ainda não tenha se encerrado. O último dado anual consolidado é de 2017, quando a taxa foi de 34,9 homicídios por cem mil habitantes. Em 2016, foram 29,7 mortes violentas a cada cem mil habitantes. A taxa alcançou 40,7 por cem mil em 2013.

Nosso programa é o único que está aberto na internet e você pode entrar para contribuir, porque nós queremos governar é com as pessoas

Aridelmo Teixeira (PTB) afirmou ser o único candidato ao governo com o programa aberto para receber contribuições populares pela internet. Nós verificamos que outros candidatos que disputam o Palácio Anchieta também contam com a mesma ferramenta.

Além dele, a senadora Rose de Freitas (Podemos) aceita contribuições pela internet, por meio do seu site. O advogado André Moreira (PSOL) também criou um formulário na web para receber sugestões. Por isso, consideramos a falsa a declaração de Aridelmo.

O deputado Carlos Manato (PSL) afirma que tem recebido as contribuições pessoalmente, mas que a partir de segunda-feira haverá um espaço em seu site.

A coordenação de campanha da candidata Jackeline Rocha (PT) foi acionada, mas não respondeu à reportagem.

A assessoria de Renato Casagrande (PSB) disse que não criou nenhuma plataforma, mas que coleta as sugestões deixadas nas redes sociais do candidato.

Procurado para falar sobre o erro, Aridelmo disse que “a campanha muda todo o tempo, e com velocidade. Tomara que mais candidatos adotem a prática. Quem ganha é o eleitor!”

Hoje temos 32 (Escolas Vivas)

 

 

A primeira unidade do programa de escolas em tempo integral do atual governo foi implantada em 2015, em São Pedro, Vitória. A proposta, apresentada como “novo modelo de escola pública” e que tem Aridelmo como principal entusiasta e articulador, foi expandida para outros municípios. Em julho deste ano, foi inaugurada a 32ª unidade, em Novo Horizonte, Serra. Por isso, consideramos a declaração verdadeira.

Ver comentários