Notícia

Reforço de vacina de meningite é suspenso em Cachoeiro

Os municípios capixabas estão recebendo menor quantidade de doses da vacina de meningite

O Ministério da Saúde está enviando quantidade menor de doses
O Ministério da Saúde está enviando quantidade menor de doses
Foto: Marcel Alves

Os municípios capixabas estão recebendo menor quantidade de doses da vacina de meningite. Em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado, os reforços foram suspensos e a Secretaria Municipal de Saúde está priorizando a aplicação de dose nas crianças menores de um ano, com três e cinco meses de idade. A expectativa é de que a situação esteja normalizada até agosto.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) informou que a vacina contra a Meningite C está em falta pois o Ministério da Saúde está enviando um número reduzido de doses desde o mês de maio deste ano. Ainda de acordo com a nota, na última sexta (13) o estado recebeu nove mil doses, que começaram a ser distribuídas a partir desta segunda-feira (16), mesmo assim está abaixo da necessidade da população.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Cachoeiro, o município recebeu, no início deste mês, 15% da cota e, por isso, está priorizando a aplicação de dose nas crianças com três e cinco meses de idade. A cota mensal é de 1,3 mil doses, mas recebeu até agora 320, com previsão de chegar mais 520 na próxima semana. A coordenadora de imunizações do município, Horminda Gonçalves, garante que ainda há doses.

“Nenhuma unidade de saúde está em falta. É importante frisar que nós temos a vacina sim priorizando as crianças de três e cinco meses. Aquelas crianças que vão receber o reforço, que é com 12 meses, e os adolescentes a partir de 11 anos de idade, esses sim, vão apenas aguardar o estoque se normalizar no início do mês de agosto para a gente atualizar a caderneta”, explicou.

A dona de casa Neuza Maria levou o pequeno Enzo de 15 dias para tomar várias vacinas no Centro Municipal de Saúde. “Poque desde pequenininho a gente tem que evitar as doenças que podem acontecer. A vacina é muito importante, a gente não pode deixar de vacinar”, disse.

A expectativa é que até o próximo mês a situação se normalize em Cachoeiro.

Ver comentários