Notícia

Criminoso se passa por padre e aplica golpes em Cachoeiro

Diocese chegou a divulgar um comunicado aos padres da cidades para que alertassem os fiéis sobre o golpe

Padre de Alegre, Enildo Genésio de Souza, alertou fiéis nas redes sociais
Padre de Alegre, Enildo Genésio de Souza, alertou fiéis nas redes sociais
Foto: Reprodução | Redes Sociais

Um homem ainda não identificado está se passando por padre de Alegre tem aplicado golpes em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado. Desde a semana passada, casos foram relatados de que um homem pedia dinheiro para a compra de um presente para um outro padre. Pelo menos três fiéis teriam caído no golpe.

Por conta do problema, a Diocese de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado, divulgou na última semana um comunicado aos padres para alertar os fiéis. No texto, informa que há uma pessoa, de má índole, que supostamente estaria se passando por um presbítero da Diocese. Esta pessoa estaria passando nas casas, estabelecimentos comerciais e arrecadando dinheiro para a compra de um presente.

O estelionatário se passou pelo pároco de Alegre, Enildo Genésio de Souza. Ele mesmo postou em sua rede social alertando os fiéis.

“É golpe: tem uma pessoa em Cachoeiro pedindo ajuda em meu nome Pe Enildo e em nome do Pe Schuenk. Gostaria de dizer que se trata de um golpe e que estamos providenciando o BO, bem como a identificação da pessoa. Reinteramos que nossos pedidos sempre são oficiais ou seja, com ofício, assinado e carimbado e que ninguém está autorizado a fazer nenhum pedido em nosso nome sem ser por via oficial”.

> Os golpes que mais fazem vítimas no ES

O padre contou que ficou surpreso com a situação. “Soube que algumas pessoas, umas três, caíram no golpe. Ele pedia R$500. Fiquei muito triste com esta situação, por pessoas agindo de má fé”, contou o padre Enildo.

Segundo a Polícia Civil, denúncias que auxiliem no trabalho e contribuam para identificação de suspeitos podem ser feitas por meio do Disque - Denúncia 181 ou pelo www.disquedenuncia181.es.gov.br, o sigilo e anonimato são garantidos. No site, é possível a pessoa anexar imagens e vídeos de ações criminosas.

Ver comentários