Notícia

Devido ao calor, alunas desmaiam em escola de Presidente Kennedy

Pais denunciam que não há ventiladores e nem água gelada nos bebedouros

Foto: Internauta

Alunos desmaiaram e outros passarem mal na manhã desta quarta-feira (27) em uma escola da rede estadual em Presidente Kennedy, Litoral Sul do Estado. Pais denunciam as condições ruins da unidade que os filhos estão estudando desde o início do ano. Para eles, o forte calor e a água quente para beber contribuíram para a situação.

Em imagens feitas de dentro da unidade no início da tarde, é possível ver que pelo menos três alunas desmaiaram e são socorridas pelos próprios colegas da escola. O caso causou revolta e preocupação entre os pais dos alunos.

Foto: Internauta

Desde o início da semana, os alunos protestam no pátio por melhorias na Escola de Ensino Fundamental e Médio ‘Presidente Kennedy, na sede do município. Segundo o pai de dois alunos, Vinícios dos Santos, o relato é que as salas estão lotadas. “Tem 40 alunos numa sala. Não tem ventilador, nem água gelada no bebedouro. Eles falam que a água tem gosto forte de cloro. Hoje, alunos passaram mal e foram liberados mais cedo”, contou.

Leia também

Outro problema é a falta de cobertura a quadra para atividades físicas. “O calor está insuportável e a quadra existente na escola está sem cobertura. Hoje os alunos foram dispensados mais cedo para suas casas. Uma aluna desmaiou e foi levada ao hospital”, disse o morador João Luiz.

OUTRO LADO

Em nota, a direção da escola, por meio da Secretaria Estadual de Educação (Sedu), informou que acompanhou toda a situação, que os alunos foram encaminhados ao Pronto Atendimento, liberados e que, também, manteve contato com as famílias destes estudantes. Segundo a unidade os alunos não estavam em sala de aula no momento em que passaram mal.

Afirmou ainda que está sensível ao problema e, por isso, destinou mais de R$ 10 milhões em recursos para intervenções nas redes elétricas de diversas escolas e substituição de alguns aparelhos ventiladores. Mas lembra que, segundo os Institutos de Meteorologia, o calor rigoroso é um dos recordes nos últimos anos.

A Sedu também disse que as escolas estão permitindo, quando possível, o deslocamento de alunos das salas de aula para outros ambientes com maior fluxo de ar como pátios, além de orientarem os alunos para que se hidratem o tempo todo.

Ver comentários