Notícia

Fala de médica a idosas em PA de Alegre gera revolta na cidade

As imagens viralizaram na cidade, após a publicação na rede social do internauta Antônio Junior Pereira Barros e causaram indignação

 

A resposta de uma médica a pacientes idosas no Pronto Atendimento Municipal de Alegre, Região do Caparaó capixaba, gerou revolta entre os moradores. Nas imagens gravadas por uma testemunha, na manhã do último domingo (8), a profissional diz às pacientes que buscavam atendimento que somente iria atender "quem estivesse quase morrendo".

> 'A gente é ser humano, não bicho', diz mãe no PA de Alto Lage

As imagens viralizaram na cidade, após a publicação na rede social do internauta Antônio Junior Pereira Barros e causaram indignação. Morador do distrito de Café, a 14 quilômetros da sede, ele levou a esposa que passava mal, porém conta, que após o tratamento dado pela profissional, decidiu voltar para casa.

Fiquei indignado, nem tanto por mim, mas por minha esposa, pelas idosas que lá estavam. Uma delas dizia estar esperando por atendimento desde às 8 horas com febre e nem estava tão lotado assim

"Quando gravei as imagens eram quase 11h30”, revela o operador de máquinas, Antônio Junior Pereira Barros, que interrompeu as imagens a pedido de uma funcionária do local.

> Um anos após quebra-quebra, médico diz: "Aqui é lugar de pegar doenças"

A moradora Angélica Chanasquini também reclama do atendimento. “Semana passada fui tomar medicação e esperei três horas. Vi as imagens e achei uma coisa absurda uma médica tratar pacientes daquela forma. O assunto se espalhou logo pela cidade. Estão comentando que os médicos estão sem receber há três meses”, conta.

PREFEITURA DIZ QUE VAI APURAR O CASO

A unidade é administrada pelo município de Alegre. Em sua rede social oficial, uma nota foi divulgada na segunda-feira (10). A prefeitura afirma que, por ordem do prefeito, José Guilherme Gonçalves Aguilar, foi determinada a apuração dos fatos e responsabilização dos envolvidos.

Por telefone, o prefeito comentou sobre a denúncia. “O caso está sendo apurado pela secretaria de Saúde. O problema é que naquele exato momento havia chegado um paciente em estado crítico, com parada cardíaca, e houve um grande estresse naquele momento, foi o que me passaram. Chegou uma senhora com enxaqueca, querendo ser atendida a qualquer custo”, contou o prefeito.

> Secretário admite colapso na saúde pública do ES

José Guilherme Gonçalves Aguilar disse pediu celeridade no processo administrativo que foi instaurado para saber o que de fato aconteceu, e que vai ouvir as pessoas envolvidas e testemunhas para esclarecer o caso. “Se houver culpado, certamente haverá punição”, afirma o prefeito.

Questionado se é verdadeira a informação quer circula na cidade de que médicos estão com salários atrasados, o prefeito respondeu: "Acontece", sem confirmar há quanto tempo os profissionais estão sem receber.

O nome da médica não foi informado pela prefeitura.

O Conselho Regional de Medicina disse por meio de sua assessoria que não recebeu denúncia sobre o caso. 

Ver comentários