Notícia

Secretária de Educação presa no ES é suspeita de vender diplomas falsos

Outras duas pessoas foram presas em flagrante, em Piúma

Fachada da Delegacia de Piúma. Prisões foram realizadas em flagrante, segundo o delegado David Santana
Fachada da Delegacia de Piúma. Prisões foram realizadas em flagrante, segundo o delegado David Santana
Foto: Sindipol | Divulgação

A secretária de Educação de Piúma, presa na terça-feira (13), é suspeita de vender diplomas e certificados falsos. A afirmação é do delegado David Santana, que chefia a unidade da Polícia Civil na cidade.

Segundo a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), Isabel Fernanda Scherres Rocha foi levada para o Centro Prisional de Cachoeiro de Itapemirim, autuada por falsidade ideológica e associação criminosa.

> Servidores de 31 prefeituras do ES podem ter comprado diploma falso

MAIS PRESOS

De acordo com o delegado, além de Isabel, duas pessoas foram presas pelas mesmas acusações envolvendo diplomas falsos: Carlos Antônio Castro e Ricarda dos Santos Souza. Os dois, segundo o delegado, trabalham em uma instituição de pesquisas e cursos educacionais de Piúma, de propriedade da secretária de Educação. 

As prisões foram realizadas em flagrante. O delegado esclarece que a investigação já ocorria há algum tempo, e que as prisões ocorreram após denúncias.

"Denunciaram que a venda de diploma falso estava acontecendo naquele momento. A Polícia Civil acompanhou os fatos, efetuou a prisão da funcionária que entregava o diploma. Na delegacia, a funcionária disse que trabalhava sob ordens dos proprietários do instituto de ensino. Determinei então a busca dos proprietários, onde na delegacia foi apurado que se tratava de uma associação estável para a venda de diplomas falsos no município. Ela (secretária) encontrava-se em flagrante, pois foi depositado na conta dela o valor do documento falso", contou o delegado.

> MPES identifica mais de 4 mil pessoas que comprar diplomas falsos

O QUE DIZ O PREFEITO

Acionado pela reportagem, o prefeito de Piúma, José Ricardo Pereira da Costa, disse que não tomará nenhuma atitude sem ouvir os órgãos responsáveis.

“Estamos aguardando os órgãos responsáveis para que possam dar uma posição pra gente. Vamos verificar o caso para um direcionamento. Talvez, seja necessário tomar alguma medida cautelar para o bem do município e para o bem dela também. Deixando claro, que se for necessária uma medida cautelar, não é por questão de uma pré-desconfiança, não é nada de pré-condenação da nossa parte”, disse o chefe do executivo.

> Diplomas falsos: cursos de graduação via Facebook

Isabel Fernanda é professora, pedagoga, concursada no município e ocupa a chefia da pasta de Educação desde 2017.

O QUE DIZ A DEFESA DOS SUSPEITOS PRESOS

Segundo o advogado José Peres de Araújo, que defende os envolvidos, "a defesa enxerga esta operação como uma armadilha arquitetada por um desafeto político da secretária. O flagrante ainda não foi homologado".

Ver comentários