Notícia

Saiba quando vale a pena comprar um veículo que vem com teto solar

Especialistas afirmam que em carros de luxo equipamento pode ajudar na revenda

Em veículos que custam  R$ 120 mil  quando novos, teto solar é praticamente obrigatório para a revenda
Em veículos que custam R$ 120 mil quando novos, teto solar é praticamente obrigatório para a revenda
Foto: Divulgação

Não há como negar que o teto solar garante mais esportividade e sofisticação ao veículo. Antes exclusividade entre os modelos de luxo, agora, está presente em carros a partir de R$ 80 mil. Para acelerar por aí com o vento nos cabelos é necessário desembolsar, em média, de R$ 8 mil a R$ 10 mil. Será que vale a pena?

A resposta do consultor automotivo Otávio Rheingantaz Gomes é: depende. Ele explica que em alguns modelos o teto solar é um diferencial na hora da revenda, em outros, acaba se tornando perda de dinheiro.

Leia também

“Em veículos novos, que custam mais do que R$ 120 mil, o teto solar é praticamente obrigatório. Faz pouca diferença no custo total do carro e quem não opta por ele tem dificuldade na revenda”, explica.

Os consumidores de seminovos mais simples, segundo Otávio, não são tão exigentes e têm o preço como foco. “É importante saber que não será tão valorizado na revenda. Pode chamar atenção, mas nem sempre o comprador está disposto a pagar mais”, diz Otávio.

Para o gerente de importados da Prime Hyundai, Délio de Nardi, o teto garante uma revenda mais rápida. “A principal diferença é estética. Mas também há o conforto de refrigerar o carro mais rápido. Basta abrir o equipamento e, em poucos minutos, o ar quente sai. Para muitos, isto vale o investimento, outros, não fazem questão”, afirma.

O consultor automotivo informa que o teto solar pode ser um opcional único ou vir dentro de um pacote, o custo varia de R$ 8 mil a R$ 10 mil, dependendo dos outros itens.

O especialista em produtos da Vitória Motors Mercedes-Benz, Fábio Pitondo, informa que entre os carros de luxo é normal que o equipamento faça parte de uma versão. “Muitas vezes, o teto vem nas configurações intermediária e topo de linha”.

Instalar o teto em um carro que não possui é possível, mas não é recomendado, segundo Otávio. “O procedimento não é feito pelas concessionárias. Há risco de cortarem uma das barras estruturais do carro e comprometer seu funcionamento”, alerta.

MANUTENÇÃO

Segundo Pitondo, não é necessário ter grandes preocupações com a manutenção. “Nas revisões fazemos testes de estanqueidade (para saber se há vazamentos). Também é necessário hidratar as borrachas pelo menos uma vez ao ano”.

Ver comentários