Notícia

Armas de fogo e espinhos não passam de proteção imaginária

Animais como o porco-espinho não têm leis e instituições incumbidas de sua segurança; não têm escolha senão protegerem a si mesmos com o que a natureza lhes dá

Esse conteúdo é exclusivo para assinante.

Assine o Gazeta Online e acesse.

Ainda não é cadastrado?

Cadastre-se grátis

Ver comentários