Notícia

"É a vez do governo fazer sua parte", diz leitora sobre professora faz-tudo

Única educadora de escola de Sooretama, Edicléia Feliz ainda se divide entre as funções de diretora e merendeira. A rotina da profissional dividiu a opinião dos leitores do Gazeta Online

Professora Edicléia Feliz, da Escola Estadual Unidocente Ensino Fundamental Corrego Patioba, no interior de Sooretama
Professora Edicléia Feliz, da Escola Estadual Unidocente Ensino Fundamental Corrego Patioba, no interior de Sooretama
Foto: Reprodução TV Gazeta

A rotina de uma professora de Sooretama, relatada nesta segunda em reportagem do Gazeta Online, chamou a atenção dos leitores. Edicléia Feliz é a única educadora da Escola Estadual Unidocente Ensino Fundamental (EEUEF) Córrego Patioba, no interior do município do Norte do Estado, e ainda se divide entre as funções de diretora e merendeira. No caminho para o trabalho, também dá carona para estudantes.

Na sala de aula, a única da unidade, há estudantes da 1ª a 5ª série do ensino fundamental. “Eu trabalho o mesmo o assunto com atividades diferentes e funciona muito bem”, garante Edicléia. Tão bem que o resultado da escola no Programa de Avaliação Educacional do Espírito Santo (Paebes) 2018 está estampado na fachada na escola: eles alcançaram 100% de aproveitamento.

Segundo a Sedu, as escolas Uni Pluridocentes - que é o caso da unidade Córrego Patioba são atendidas por apenas um profissional por causa da quantidade reduzida de alunos. A situação está regulamentada pela Resolução 3.777, informa o órgão.

A história de Edicléia dividiu a opinião dos leitores. Alguns se emocionaram com a dedicação da profissional aos alunos e a parabenizaram pelos bons resultados. Outros, no entanto, criticaram o acúmulo de funções, visto por eles como retrato da precariedade da educação no Brasil.

Confira alguns comentários:

Com certeza ela não faz isso para aparecer, é feito por amor às crianças. Agora é a vez do governo fazer a sua parte, valorizando os professores. (Rita Sant’Ana)

Não é para parabenizar e sim se penalizar. Professor não trabalha por título de herói e salvador da pátria. Professor estuda, se qualifica, se especializa. Quer ser valorizado com salário digno e não com título de herói. Amamos muito e respeitamos nossos queridos alunos, porém isso nao é suficiente para suprir nossas necessidades. (Girlane Marcia)

Exploração, acúmulo de funções, desvalorização profissional, descaso com a educação. Esse deve ser o foco da análise. Os profissionais não são e nem querem ser heróis. Querem o direito do exercício da profissão com dignidade. (Martha da Silva) 

Não tirando o mérito dessa professora, que com certeza faz um trabalho maravilhoso, mas temos que parar de romantizar o abandono em que a educação se encontra. Com certeza essa professora mal recebe para fazer a função dela e ainda desempenha outras. (Sthela Marrane Franco)

Não se trata de romantizar. Existem vários tipos de profissionais em várias áreas, uns fazendo pouco com muito e outros fazendo muito com tão pouco. Parabéns para essa brilhante profissional e ser humano fantástico! (Jose Fiuza)

Não faz bem a professora. Enquanto ela desvia sua função, o governo se exime de seu papel constitucional. Péssimo exemplo. Péssimo enfoque da matéria. Ao romantizar a precariedade da educação, este veículo de comunicação não contribui para a superação dos desafios e nem para a melhoria do atendimento educacional como direito. (Adriano Albertino)

Não a vejo como heroína e, sim, explorada com acúmulo de função. Tinha que fazer matéria exigindo da prefeitura e do Estado o papel que lhes cabe. (Arleuda Oliveira)

Concordo que o magistério é desvalorizado e blá-blá-blá. Mas o enfoque aqui é outro. O fato é: como uma única professora consegue resultados tão bons e tantas escolas com tantos recursos só conseguem resultados medíocres? O magistério é a profissão mais linda e importante, sem dúvida essa professora está fazendo a diferença com amor e trabalho de qualidade. Está se tornando um grande agente de mudança na realidade daquela comunidade. Ela está fazendo acontecer com seu exemplo! Isso é digno de muitos aplausos e reflexões sobre nossas práticas. (Rita Longue)

Isto é realidade em todo Brasil. Infelizmente as escolas do campo não recebem os mesmo tratamento de escolas urbanas e, para se ter uma reforma, precisa que comunidade se mobilize. (Equias Chay Silva)

Como todos os dias só temos notícias horríveis, chorei de emoção. Essa, sim, é a professora que fez seu juramento de forma verdadeira. Independentemente de governo, já nasceu com o coração habitado de amor, carinho, alegria. Obrigada por existir. Parabéns. (Maria José Zorzaneli)

É louvável a atitude da nobre colega de profissão. Muitos professores dão sua cota de contribuição para a educação. No entanto, não podemos romantizar essa situação. Temos que exigir qualidade na educação básica deste país e ofertar condição de trabalho para os professores. Parabéns à maravilhosa professora quanto ao amor ao ofício. (Claudio Luiz Fernandes Barboza)

Não tirando o mérito da professora, mas isso é mais motivo de tristeza do que de felicidade. Logicamente que o ato dela é supremo e lindo. Mas não é certo um professor se dividir dessa forma. (Letícia Vitória)

Essa professora é vítima de exploração trabalhista. Ela denota o abandono da gestão pública acerca da educação. Muito triste o que mostra essa reportagem. (Marcela Junqueira)

Leram a reportagem? Viram a conclusão no final, de que se ela faz tudo isso é porque alguma coisa está errada? E ela não está ali no atual governo não. Está fazendo isso há anos... (Bruna Maia)

Ver comentários