Notícia

"Desnecessário, Ceturb", comenta leitora sobre remoção de quiosques

Maioria dos leitores que utilizam o Sistema Transcol criticou o projeto de retirar os módulos comerciais dos terminais da Grande Vitória

Quiosques no Terminal do Ibes, em Vila Velha
Quiosques no Terminal do Ibes, em Vila Velha
Foto: Regina Trindade

Os quiosques localizados nos terminais do Sistema Transcol podem estar com os dias contados. A Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros (Ceturb) entrou na Justiça para remover os 80 comerciantes que trabalham nos terminais de ônibus da Grande Vitória

Desde o ano passado, os donos dos quiosques procuraram auxílio na Defensoria Pública do Espírito Santo para receber orientação jurídica, uma vez que 60 deles já sofrem ações judiciais para serem retirados dos terminais onde trabalham e 10 já foram efetivamente retirados. De acordo com o defensor público Vinicius Lamego, que faz parte do Núcleo de Defesa Agrária e Moradia, a Ceturb concedia um termo de permissão de uso aos comerciantes, mas a companhia pretende extinguir os espaços de trabalho.

>Casagrande anuncia Wi-Fi em ônibus do Transcol a partir de maio

Procurada pela reportagem do Gazeta Online, a Ceturb-ES afirmou, por meio de nota, que está buscando junto à Justiça e ao Ministério Público alternativas para que os modulistas possam ser atendidos da melhor forma possível.

No Facebook do Gazeta Online, a retirada dos quiosqueiros foi alvo de reclamações dos usuários. Muitos leitores tacharam a medida de "desnecessária" e "cruel", por tirar a fonte de renda de várias famílias. Outros afirmaram que a presença dos modulistas ajuda a aumentar a segurança dos passageiros que esperam pelos ônibus. 

Confira alguns comentários:

Desnecessário, Ceturb! Preocupe-se com os problemas urgentes para dar conforto ao usuário do Transcol que volta do trabalho cansado e enfrenta superlotação nos ônibus. Os vendedores dos terminais não incomodam ninguém, pelo contrário, ajudam e muito todos que passam por lá, muitas vezes até sem tomar o café da manhã por causa da correria. (Rafaela Barcelos)

 

 

 

 

Dar fim aos assaltantes nos terminais, nos ônibus e nas ruas ninguém quer. Mas para acabar com o trabalhador sempre tem alguém estendendo a bandeira. (Arildo Vaz)

Afinal, desde quando usuário de Transcol é gente? Qual a necessidade de comprar algo para comer depois de um dia cansativo e ainda ter que mofar esperando ônibus? Para que comprar água para matar a sede? Nós não aprendemos que transporte coletivo não é um direito, é um favor. (Roni Xavier)

 

 

 

 

Qual a necessidade, Ceturb? Sempre gostei de comprar umas coisinhas nos terminais. No do Ibes era cliente cativa do milho verde cozido, papa de milho, café com leite, balinhas. Fez uma falta danada quando expulsaram os vendedores de amendoim torrado. Tem mais, é a presença desses comerciantes que nos dá segurança quando ficamos esperando ônibus nos últimos horários, porque vigilantes ninguém vê! Pare de inventar moda, Ceturb, e cuide dos horários dos ônibus e de tantas outras atribuições que sempre negligenciaram! (Marli Malacarne)

A Ceturb tem que cobrar urgência para o Terminal de Itaparica ficar pronto rápido. Isso sim! (Peinha Wolkartt Vivaldi)

Meu Deus só notícias ruins. Mais um monte de pessoas vão ficar sem ter como trabalhar para sustentar sua família? Já não basta o tanto de desempregados? Ao invés de ajudar as pessoas, só prejudicam. (Angela Maria Francisco)

 

 

 

 

Vai ser igual aos quiosques. A prefeitura ficou de olho grande no dinheiro, hoje está com dificuldade para conseguir comerciantes que queiram assumir esses estabelecimentos. (Waldenor Santos)

Vão baixar o valor da passagem? Vai ter intervalos menores entre a saída de cada ônibus? Vai ter um maior número de ônibus rodando para nós não ficarmos plantados nos terminais e nos pontos? Se sim, podemos pensar se aprovamos essa decisão. (Lele Machado)

A questão crucial é: o que vai acontecer com as pessoas que trabalham nos quiosques? A Ceturb tem uma solução pronta para os problemas deles ou simplesmente vai abandoná-los e deixar que se virem? Não é demais lembrar que, no país, são mais de 13 milhões de desempregados, e grande parte desse pessoal é do Espírito Santo. (Elias Alves) 

Impressionante como os governantes e os grandes empresários fazem de tudo pra prejudicar a vida dos trabalhadores... (Wesley Lima)

Reformar as caçambas de lixo em que andamos eles não querem, né? Ônibus caindo aos pedaços, falta de segurança e vários problemas nos ônibus e nos terminais, mas eles não querem saber disso. Querem aumentar a passagem e destruir a fonte de renda de várias famílias. (Julia Rossi)

Vão trabalhar sério. Eu sou usuária do comércio dos terminais, é a hora do lanche que mais espero, no final do dia de trabalho. Tem que acabar com a falta de segurança, isso sim. (Paula Gotuzzo)

Esse tipo de comércio é de utilidade pública. Quantos não saem de casa sem tomar um café e deixam para tomar enquanto aguardam na fila? (Nelma Teixeira)

 

 

Pessoas sem coração, com tanta gente desempregada... E os que precisam sustentar a família? Vão cuidar de colocar segurança nos ônibus e deixem os querem trabalhar. Não estão roubando não. (Mara Aparecida Nunes de Araujo Lima)

O que vocês estão querendo? Aumentar mais o desemprego e aumentar os assaltos? Imagina o terminal sem as barraquinhas para a gente lancha e o deserto que vai ficar. Misericórdia! (Cida Mendes)

Ver comentários