Notícia

"Ensino deve prevalecer", diz leitor sobre verba de universidades

Leitores do Gazeta Online comentam a decisão do Ministério da Educação (MEC) de cortar 30% das verbas destinadas às universidades públicas do país

Ufes enfrenta redução do orçamento nos últimos anos e bloqueio de emendas parlamentares
Ufes enfrenta redução do orçamento nos últimos anos e bloqueio de emendas parlamentares
Foto: Ricardo Medeiros

O Ministério da Educação (MEC) informou na terça-feira (30) que cortou 30% das verbas destinadas às universidades públicas. Inicialmente, o ministro Abraham Weintraub havia anunciado que a redução ocorreria em universidades que não apresentassem desempenho acadêmico esperado e, ao mesmo tempo, estivessem promovendo “balbúrdia”.

>Confira: Ufes faz 65 anos e enfrenta desafios com corte de verba

A decisão repercutiu mal entre especialistas, principalmente pelo fato de o governo não ter apresentado justificativas consistentes para o corte. Carlos Monteiro, especialista em gestão universitária pela Universidade de Michigan, avaliou como “contraditório" punir uma universidade com corte de recursos por apresentar queda na qualidade.

No caso da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), que já enfrentava redução dos repasses do governo ao longo dos últimos anos, as emendas parlamentares que ajudavam no custeio e na manutenção também foram bloqueadas.  

No Facebook do Gazeta Online, muitos leitores lamentaram a decisão do MEC. Outros internautas apontaram a necessidade de fiscalizar os gastos das instituições públicas de ensino. Confira alguns comentários:

Estudei na Ufes na década de 1980, com excelentes mestres do curso de Letras. Logo que saí do interior de Itapemirim, onde trabalhava nas lavouras de cana-de-açúcar, em pouco tempo eu ingressava nessa tão bem conceituada instituição. Às vezes olhava ao meu redor e contemplava aqueles momentos, entre alunos e professores discutindo literatura, cultura, o saber, a contextualização dos romances, o nosso país... e me lembrava de meus amigos nas lavouras que ficaram para trás, em Itapemirim. Hoje estou lançando livros infantis, para alegrar as crianças em séries iniciais. Agora leio que o governo está tirando verbas das universidades. Que tempos sombrios são estes para nossa educação! (Aélcio De Bruim)


Quando se fala em verbas para universidades, fala-se também em verbas específicas para cada atividade universitária. Quais dessas atividades são imprescindíveis? Quais são as que não fazem falta à sociedade em geral? As atividades de uma universidade não são dirigidas só a estudantes, funcionários e professores. O assunto tem que ser discutido de forma muito mais ampla, envolvendo todos os segmentos da sociedade organizada. (Elias Alves)


Muitos registros de patentes do Brasil são oriundos das universidades públicas. Isso representa descobertas de novos medicamentos, vacinas, tratamentos, melhorias na agricultura, meio ambiente e qualidade de vida para as população. (Lacerda Eduardo)


Não concordo em cortar, mas, sinceramente, para onde estava indo o dinheiro? Aquele lugar é completamente abandonado... (Felipe dos Santos Carvalho)


“Aquele lugar” tem 65 anos história. “Aquele lugar” tem produção científica de qualidade. Uma pena o capixaba desprezar um lugar tão importante. Tristes tempos. (Rosi Meireles)


A pergunta seria: o quanto é necessário para a Ufes funcionar com plena capacidade de desenvolver o ensino, a pesquisa e a extensão? Quanto a universidade vem recebendo? Aí poderíamos tirar conclusões! (André Cibien Savergnini)
 

A Ufes tem vários campi em cidades diferentes. Essa quantia é para todos eles. Essa verba ainda é pouca perto de tantas coisas que precisam ser feitas. (Nicholas Mendes)


Nossa! Para onde vai essa fortuna? Daria para manter várias creches e hospitais, com certeza. (Fátima Leandro)


Creches e hospitais precisam de professores, médicos, enfermeiros, assistente sociais, psicólogos, dentistas etc. E isso só se consegue estudando numa faculdade. (Noemir Mendes de Oliveira)


Minha formação é em Administração, exatamente na Ufes. A universidade está fazendo milagre nessa maré de descaso do governo federal, e ainda tem gente que critica. Eu vi e convivi com as dificuldades e a superação de quem trabalha para produzir o conhecimento que uma galera está preferindo trocar pelo culto à ignorância. (Fhilipe Rodrigues Valbão)


Um governo que faz ataques sistemáticos à educação e a professores, elogia e aplaude milícias e milicianos, nunca deveria estar no poder. Está acabando com o povo e o país. (Naiara Dias França)


Queremos a CPI das universidades federais. Queremos saber onde e como estão sendo aplicadas as verbas. Vasculhem a administração desses reitores. (Rafael Almeida Matos)


O ensino deve prevalecer. Um país que se dedica a capacitar seus cidadãos é um país que vai ter muito mais chances de vencer suas dificuldades internas. (Fabiano Luchi Dala Bernardina)


Eu aceitaria qualquer tipo de corte posterior, reforma da Previdência... Desde que o exemplo viesse de cima primeiro, com corte dos salários exorbitantes e das regalias parlamentares. E se achar ruim, pede para sair. Não é assim que o mercado funciona? (Jhon Elves Fernandes)

 

Tenho feito algumas críticas ao Bolsonaro, mas desta vez ele acertou. As universidades estão cheias de alunos com muitos recursos. Por que eu tenho que pagar imposto para o filho de um médico estudar na Ufes se assim que ele formar nem no SUS vai atender? (Phelipe Gan)


Bom mesmo seria se não existissem as instituições públicas, só as privadas, para ficar tudo bem elitizado. A ideia de estado mínimo é ótima, tanto que aqueles que podem pagar por uma universidade deveriam abdicar desse direito né e deixar as públicas só para quem não teve condições de pagar cursinhos e estudar em escolas particulares. Muito fácil generalizar para justificar a covardia e se isentar da responsabilidade. (Rosembergue Simonaci) 

 

E mais uma vez o governo tira o dinheiro da educação para investir em projetos pessoais, para pagar os deputados que aprovarem a reforma. E incrível, né? Depois da decisão do ministro, as ações dos grupos da educação privada dispararam. Aqueles que acham que a universidade federal nada produz, que pensam que ela serve apenas para fazer política, sugiro que venham visitar a Ufes. Busquem a informação! (Vitor Siqueira Pereira)


Não é cortar e sim fiscalizar para onde vai o dinheiro repassado. A população sabe que há muitos desvios de dinheiro, mas educação, saúde e segurança são direitos de todos. Pagamos impostos muito altos para não vermos retornos. (Vera Trancoso)

Ver comentários