Notícia

Leitores debatem indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada nos EUA

Ao rebater críticas, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) ressaltou que não há impedimento para que seu filho assuma o cargo e que indicação atende o interesse público

Deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)
Deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)
Foto: Will Shutter | Agência Câmara

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) reiterou nesta quinta-feira (18) que pretende indicar um de seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para o cargo de embaixador em Washington, nos Estados Unidos. Ao rebater críticas, o chefe do Executivo ressaltou que não há impedimento na indicação e disse que ela atende o interesse público. 

>Artigo: Indicação de Eduardo para embaixada põe fim à meritocracia do cargo

Para assumir a vaga, o parlamentar precisa da aprovação do Senado, em duas etapas. Primeiro, há uma sabatina e uma votação na Comissão de Relações Exteriores e, depois, vai a plenário, onde é necessária maioria simples. Aliados do governo já discutem a possibilidade da troca de integrantes na comissão para tentar facilitar a aprovação.

>'Por que essa pressão em cima de um filho meu?', questiona Bolsonaro

Desde que foi feito o anúncio dos planos, a indicação de Eduardo Bolsonaro vem enfrentando resistência de muitos políticos, diplomatas, magistrados e eleitores. No Facebook do Gazeta Online, o tema levantou debate entre os leitores. Confira alguns comentários:

O problema maior nem é o nepotismo, mas sim que o indicado não tem um currículo adequado para o cargo! Ser filho do atual presidente não o faz competente instantaneamente para o que talvez seja o cargo de representação internacional mais importante do país! (Ricardo Torezani)

O presidente da República está há muito tempo na política e é muito bem assessorado, deve saber o que está fazendo! (Meri Loureiro) 

Tantas pessoas estudam e se preparam arduamente para essa função, aí vem um almofadinha fritador de hambúrguer e leva a vaga sem preparo algum. Tudo o que este homem prometeu na campanha ele já furou... voto perdido e arrependido. (Silvania Altoé) 

É nepotismo o pai indicar o filho para um cargo do Poder Executivo? Depende. Se for o Lula, é sim. Se for Bolsonaro, claro que não. (Lucas Marcel Pereira Matias) 

Em menos de seis meses, os cidadãos de bem anticorrupção já apoiaram: laranjas, propina, sumiço de suspeito, ministro caixa 2, milicianos, rachadinha, ex-juiz trapaceando, trabalho infantil, toma lá dá cá, mensalão, pedaladas e agora nepotismo. Parabéns! (Carlos Duarte) 

Prédio da Embaixada do Brasil em Washington, nos Estados Unidos
Prédio da Embaixada do Brasil em Washington, nos Estados Unidos
Foto: Picasa/ Google

Não é nepotismo. Tem que entender isso. Não se trata do filho do presidente e sim de um parlamentar eleito pelo povo, então pode ser indicado. (Onecir Parpaiola Sezino) 

Nepotismo não é, mas é imoral, não pega bem. (Vinícius Briel) 

Parabéns, Bolsonaro, por colocar um cara que não tem faculdade de Relações Internacionais e que as melhores qualificações são ser amigo do filho do Trump e fritar hambúrguer em um cargo de suma importância. (Izabela Goncalves Zeni) 

Para representar os brasileiros tem que ser alguém de inteira responsabilidade e com qualidade, porque sem responsabilidade e incipiente já tem o pai. (Edilson de Souza Lima) 

A lei é clara, nepotismo é só quando indica para cargos administrativos e não políticos. Embaixador é cargo político, se for para falar mau de alguém, que falemos a verdade sempre. (Kellyson Menezes) 

Se é legal, então não pode ser chamado de nepotismo. Agora se a gente gosta ou não já é outra história. (Jabesmar Aguiar Guimarães) 

Até chega a ser engraçado. Pregou tanta ética e diz ser contra manobras e mamatas e faz uma coisas dessas? (Eduardo Miranda Coutinho) 

Ele está indicando seu filho, não está colocando diretamente no cargo. Dependerá do Senado aceitar ou não sua indicação. (Hel Cabral) 

Chega a ser piada perguntar se a base do governo vai votar a favor ou contra o filho do presidente assumir um cargo. Vai ser o novo “em nome da família e dos bons costumes, eu voto sim”. (Guilherme Campos) 

Não é nepotismo, mas não concordo com ele como embaixador, acho que tem gente com melhor experiência. E outra que ele foi eleito para representar o povo na Câmara, então precisamos dele na Câmara! (Douglas Perini)

Ver comentários