Notícia

Leitores debatem possíveis impactos de Transcol sem cobrador

Rodoviários protestaram nesta segunda-feira (1º), por receio de demissões, já que os novos ônibus aceitam apenas o cartão do Bilhete Único, dispensando cobradores

Ônibus do sistema Transcol com ar condicionado
Ônibus do sistema Transcol com ar condicionado
Foto: Fernando Madeira

Na manhã desta segunda-feira (1º), os rodoviários realizaram uma manifestação contra os novos ônibus Transcol com ar-condicionado, que não terão cobradores. Um grupo de manifestantes seguiu em passeata pela Avenida Vitória até o Palácio Anchieta. A manifestação terminou por volta das 10 horas. 

A categoria teme demissões, já que os novos ônibus, que somente aceitarão passageiros com cartão do Bilhete Único, dispensam a presença de cobradores. O secretário de Estado de Transportes e Obra Públicas, Fábio Damasceno, voltou a afirmar, após os protestos, que não haverá demissões e que os funcionários passarão a exercer novas funções nas empresas.

>Ônibus do Transcol com ar-condicionado só aceitarão Bilhete Único

O assunto dividiu as opiniões dos leitores, na página do Gazeta Online no Facebook. Alguns acreditam que não como frear as novas tecnologias e que os trabalhadores devem buscar qualificação. Outros defendem que a mudança pode, sim, gerar desemprego, em um momento em que o país atravessa uma crise.

Confira alguns comentários:

O ônibus com Wi-Fi e ar condicionado poderá ser bom? Sim, poderá. Mas para pra pensar quantos assalariados, que dependem de seu emprego para sustentar sua família, vão ser prejudicados. Será que realmente é um avanço em um momento como se encontra o país (preços subindo, desemprego, entre outros fatores)? (Matheus Martins)

A tecnologia veio, temos que nos adequar a ela. É sentar com o governo para o emprego continuar, com transferência de mão de obra a outros setores. (Jonas Rodrigues Pereira)

Isso é Indústria 4.0. A tecnologia chega para todos, infelizmente. Agora é estudar, se qualificar e ir atrás de um sonho maior. (William Welff)

É triste, pois realmente substituem o trabalhador pela tecnologia, mas o Brasil já está bem atrasado nesse quesito. Em posto de gasolina, na maioria dos países, não se vê mais trabalhadores. Restaurantes também já funcionam da mesma forma. A tecnologia tem seu lado bom, mas no decorrer de seu avanço a mão de obra vai ficando para trás. Viva o avanço tecnológico? Se o país andar conforme a corrida das tecnologias, muita coisa ainda vai acontecer, isso é só o começo! (Laís Roccon)

Tantas áreas importantes para se modernizar e eles querendo fazer isso numa área que vai custar o sustento de várias famílias. Sem contar a dificuldade para se carregar o cartão de passagem. Você está com o dinheiro na mão e não pode embarcar. Toda errada essa decisão. (Melissa Almeida)

Isso já é uma forma adotada em vários Estados, difícil ir contra a tecnologia. O avanço não para, e a única saída possível é estudar e se qualificar. Quem não optar por isso, infelizmente vai ficar para trás. (Osimar Alves dos Santos)

Está certo em nome de uma empregabilidade expor a risco a própria categoria? Este é o modelo que veio para ficar, queiram ou não os sindicatos. (Roque Neves Fagundes)

Sou a favor de o governo dar cursos de qualificação para os cobradores e encaixá-los nas vagas que surgirão. A prioridade tem que ser deles. (Eliete Rodrigues)

Ver comentários