Notícia

"Para a corrupção sumir, é só não investigar", comenta leitor

O presidente do STF suspendeu todos os inquéritos que tenham partido de dados de órgãos de controle como o Coaf. Decisão beneficia o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ)

Ministério Público investigava as contas do senador Flávio Bolsonaro
Ministério Público investigava as contas do senador Flávio Bolsonaro
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil | Arquivo

A pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, suspendeu todos os inquéritos que tramitam em todas as instâncias da Justiça que tenham partido de dados detalhados compartilhados por órgãos de controle, sem prévia autorização judicial.

>Ministério Público investiga contas eleitorais de Flávio Bolsonaro

Um desses órgãos é o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Por isso a decisão beneficia Flávio, filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), e paralisa a investigação que está sendo realizada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro e que envolve o ex-assessor Fabrício Queiroz.

Em relação ao senador, o órgão federal detalhou hora e data de cada depósito de R$ 2.000 feito entre junho e julho de 2017. Foram no total 48 depósitos, somando R$ 96 mil. Em relação a Queiroz, o órgão também detalhou hora e data de saques e depósitos feitos em 2016. Este documento é, inclusive, a origem da investigação contra o filho do presidente.

>Queiroz fez saques de R$ 661 mil em 18 meses

No Facebook do Gazeta Online, o assunto ganhou grande repercussão. Confira alguns comentários:

Essa é a nova política que Bolsonaro tanto dizia em sua campanha. Pelo visto era só para ganhar votos do povo que ainda acredita que existe político honesto. (Ruber Fernandes) 

Liberou milhares de reais de emendas e fechou o acordo de distribuição de cargos! Viva a nova política! (Ju Scafani) 

Para a corrupção sumir, é só não investigar, tá ok!? Voltamos a 1964. (Felipe Costa)

Quem não deve não teme. Por que tanto medo de uma investigação? (Luiz Antônio Vieira) 

Novidade! Alguém ainda tinha dúvidas que isso iria acontecer? Isso é Brasil. (Jorge Makanaky)

Não existe corrupção quando não há o que investigar! (Raphael Santana) 

Investigações sem autorização judicial. Justíssimo! (Mário Júnior) 

Ué, mas os fins não justificam os meios? Moro e Dallagnol fizeram coisas fora da normalidade para pegar uma quadrilha e batemos palmas. E agora? Isso é torcer para político e não para a justiça. (Carlos Eduardo Dassiê)

Ex-assessor Fabrício Queiroz é suspeito de ser operador de esquema conhecido como "rachid"
Ex-assessor Fabrício Queiroz é suspeito de ser operador de esquema conhecido como "rachid"
Foto: Reprodução | SBT

Se não tem nenhum problema, por que não deixar investigar só pra que todos saibam que ele é honesto? Ou será que não é? Quem não deve não teme. (Addy Braga)

Aqui é assim: quem está no poder acha que a lei não vale para eles, tudo acaba em pizza. Este é o Brasil da nova política de Bolsonaro. (Joseilson Damaceno)

Com seis meses não encontraram nada. Melhorar parar mesmo com as investigações. Tem tantas coisas para serem investigadas. (Manoel Nunes de Oliveira)

Agora ninguém mais vai pedir o fechamento do STF. Oh, glória! (Marley Halex Gomes) 

Nem precisou de um “jipe e um cabo”. (Neemias Silva)

Ver comentários