Notícia

Espírito Santo é referência em transplante dentário no país

Procedimento é feito em crianças que perdem os dentes da frente por causa de quedas

Saúde bucal em crianças

O seu filho toma um tombo, perde um dente incisivo (da frente) que já é definitivo e fica com uma janelinha à mostra, sem possibilidade de troca. E aí, o que fazer? Quando a criança perde um dente de forma inesperada, é possível resolver o problema com um autotransplante dentário. Você já ouviu falar?

O Espírito Santo é referência nacional nesse tipo de procedimento, que é definitivo e ajuda a preservar a saúde bucal dos pequenos que estão em fase de crescimento, explica a ortodontista Deise Lima Cunha, que é presidente da Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial (Abor-ES).

“A criança que cai e perde um dente incisivo não pode colocar implante ou uma prótese fixa no local, pois vai atrapalhar o crescimento ósseo da região. O autotransplante dentário é uma alternativa para que ela não fique com a ‘janelinha’ por muito tempo”, explica.

Como funciona

A região onde ficam os dentes da frente é dento-dependente, ou seja, se há dente, tem osso. Mas se você perde um dente, o osso também vai se perdendo, aos poucos. É aí que entra o procedimento.

“A gente pega um dente da região posterior e coloca no lugar do dente incisivo que foi perdido, com cirurgia. Sim, são dentes totalmente diferentes. A criança fica alguns meses se adaptando, até o organismo reconhecer o novo dente no local”, completa a especialista.

Depois, com o retorno favorável, o dente transplantado é transformado com resina. “O resultado é tão bom esteticamente que não fica acinzentado e dá para confundir com os dentes que estão próximos”, garante.

Após esse transplante de um dente de outra região da boca da criança, é feito apenas o acompanhamento do desenvolvimento. O procedimento é definitivo. “E o espaço do dente que foi removido é fechado com um aparelho ortodôntico”, afirma.

Referência

O trabalho, referência no país, já é desenvolvido no Espírito Santo há cerca de 20 anos e tem em torno de 90% de sucesso entre os pacientes.

“A criança vai ter, no lugar do dente perdido, um outro dente de verdade, da própria criança. Além disso, você mantém a qualidade óssea na boca”, conclui.

Entenda o autotransplante dentário

O que é? O autotransplante é a substituição do dente perdido por outro da mesma pessoa ao invés da prótese ou do implante.

Para quem? Para criança que sofre lesões que levam à perda de dentes que já são definitivos.

Benefício. Evita que a criança sofra com o uso de próteses temporárias, trocadas com o passar do tempo. Além disso, evita a perda óssea.

Desenvolvimento. O autotransplante bem executado e planejado ajuda a reabilitar física e emocionalmente crianças traumatizadas com a perda dentária.

Fonte: Deise Lima Cunha, ortodontista e presidente da Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial

Ver comentários