Notícia

O som que te embala diz muito sobre você

As canções preferidas podem ajudar a definir a personalidade

Sabe aquela música que realmente mexe com você toda vez que toca? Pois é, ela pode dizer muito mais sobre a sua personalidade do que você imagina. É que a música não é só uma questão de gosto: pode funcionar também como uma válvula de escape para aspectos da nossa personalidade.

Uma pesquisa recente da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, aponta que as suas músicas preferidas podem mostrar a forma como você pensa e se comporta.

Psicólogos da universidade concluíram que o gosto musical ajuda a definir pessoas em dois grupos: as empáticas, que prestam atenção e respondem às emoções das outras; e sistemáticas, que gostam de analisar as regras e os padrões.

Depois de avaliarem mais de 4 mil pessoas, os especialistas concluíram que pessoas com características de empatia preferiram músicas mais suaves, despretenciosas e contemporâneas (como música eletrônica). Já os sistemáticos preferiram músicas mais animadas e intensas (como heavy metal), mostrando um claro paradoxo entre o comportamento e o gosto musical.

"Eu sou bem sistemático, mas meu gosto musical é mais vibrante. Vou até Metallica e Iron Maiden", diz Wagner Jack Neves
"Eu sou bem sistemático, mas meu gosto musical é mais vibrante. Vou até Metallica e Iron Maiden", diz Wagner Jack Neves
Foto: Guilherme Ferrari - GZ

Rock na veia

Para o consultor de vendas de veículos Wagner Jack Neves (foto), 42 anos, a pesquisa faz todo sentido. Ele, que é apaixonado pelo rock em geral, conta que percebe dentro de casa as conclusões da pesquisa.

“Concordo plenamente. A música diz muito sobre a personalidade. Minha esposa é o oposto de mim e gosta de MPB, músicas mais tranquilas. E ela é o lado mais tranquilo e empático da casa. Já eu, que sou cheio de regras, vou do Metallica ao Iron Maiden. Vivo em paz com essa dupla: as regras e a música agitada”, brinca.

Contextos

A psicóloga Kirlla Dornelas afirma que a música realmente pode dizer muito sobre a personalidade de alguém. Mas que é preciso fazer uma análise mais profunda sobre o contexto em que essas canções e o ouvinte estão envolvidos.

“Tudo o que diz respeito aos elementos de contexto cultural está relacionado à nossa personalidade. Estamos dentro de um contexto, e as músicas também fazem parte desse ambiente e do momento que estamos vivendo. Mas isso pode mudar com o tempo”, afirma.

Já o psicólogo Adriano Pereira, especialista em desenvolvimento e personalidade, explica que as características “cruzadas” entre personalidade e gosto musical fazem sentido.

“Pode ser uma atitude complelementar. Quem é muito tímido tende a buscar em outros meios (no caso, a música) uma válvula de escape”. (Com informações de O Globo)

Música e personalidade

A pesquisa

Metodologia

Os pesquisadores fizeram testes com mais de 4 mil participantes, através do aplicativo My Personality app. Os usuários avaliaram 50 canções de 26 gêneros e subgêneros diferentes.

Resultados

Os especialistas perceberam que os mais empáticos preferiram músicas mais suaves, reflexivas, sensuais e até deprimentes. Já os sistemáticos preferiram canções animadas e de alta energia (fortes).

Associações

Previsão

David Greenberg, autor do estudo, avaliou que, mesmo com as escolhas musicais variando ao longo do tempo, os níveis de empatia e o estilo de pensamento da pessoa preveem o tipo de música que ela gosta.

Compensação

O psicólogo Adriano Pereira afirma que o gosto musical pode apontar o complemento do que somos. Quem é muito tímido tende a buscar em outros meios (no caso, a música) uma válvula de escape.

Playlist da pesquisa

Empáticos

Hallelujah - Jeff Buckley

Come away with me - Norah Jones

All of me - Billie Holliday

Crazy little thing called love - Queen

Sistemáticos

Concerto in C - Antonio Vivaldi

Etude Opus 65 No 3 - Alexander Scriabin

God save the Queen - The Sex Pistols

Enter the Sandman - Metallica

Ver comentários