Notícia

Plástica: veja seis fatos que você precisa conhecer antes de fazer

E vale sempre dizer: toda cirurgia envolve risco

Especialistas alertam: a cirurgia plástica requer planejamento e envolve riscos
Especialistas alertam: a cirurgia plástica requer planejamento e envolve riscos
Foto: Shutterstock

Sua amiga acaba de dar aquela turbinada nos seios e, em poucos dias, já exibe o novo decote. Você se empolga com os resultados dela e marca logo a plástica. Se é tão tranquilo, por que não aproveitar para tirar aquelas gordurinhas na barriga, certo?

Sem querer desanimá-la, mas há coisas que você precisa saber antes de fazer cirurgias desse tipo. “Cirurgia plástica não tem nenhum glamour”, dispara logo o cirurgião plástico André Obermüller.

Mesmo que sua amiga não tenha sofrido nada depois da operação não significa que você terá a mesma sorte. “Podemos operar duas gêmeas univitelinas, que cada uma vai reagir de um jeito. Cada paciente é um universo único”, destaca o médico.

A anestesia pode gerar dias de mal-estar. Tem dor, inchaço, sangramento, curativos para trocar. “Na cirurgia plástica, como ocorre em qualquer pós-operatório, há muito desconforto nos primeiros dias. A paciente que coloca prótese nas mamas não pode nem dormir de bruços por um tempo”, ressalta o cirurgião plástico Humberto Pinto.

A cicatrização é outro processo muito individual, lembram os médicos. “Em geral, o paciente vai levar de seis meses a um ano para ver o resultado mais próximo de como vai ficar. Em três meses, ele já é liberado para fazer atividade física. Mas vai ter que ficar sem tomar sol, o maior vilão em termos de cicatrização”, observa André Obermüller.

Riscos

E vale sempre dizer: toda cirurgia envolve risco. “Seguindo as recomendações pré-operatórias, os riscos caem muito, mas nunca chegam a zero”, frisa Humberto Pinto.

“Muitas pacientes acham que colocar prótese de silicone é igual ir ali pintar o cabelo. Se for uma cirurgia mais longa, a pessoa fica mais debilitada. Por isso, tem que estar 100% saudável antes da operação, fazer uma série de exames e escolher um profissional habilitado”, completa Obermüller.

Plástica segura

1 - Nem todo mundo está apto

Se a pessoa está muito acima do peso, com hipertensão ou diabetes descontroladas, problemas na tireoide, infecções de repetição, entre outros problemas, a cirurgia não vai ser autorizada pelo médico

2 - O pós-operatório é meio chato

Os primeiros dias após a cirurgia são bem desconfortáveis. Muita gente passa mal com a anestesia, e o mal-estar pode durar uns três dias. Vai ter dor, inchaço, sangramento. Tem que trocar o curativo com frequência, mudar a posição na hora de dormir. Muitas vezes, vai precisar fazer drenagem. Escolha um período em que sua vida esteja mais tranquila, sem problemas para administrar

3 - Cada corpo reage de um jeito à cirurgia

Cada organismo vai dar uma resposta ao procedimento. A carga genética do paciente influencia. Mas há fatores importantes: quem pratica atividade física vai ter uma recuperação diferente de quem é sedentário, por exemplo. Para tudo correr bem, o paciente tem que fazer a parte dele e tomar cuidados depois da cirurgia, como não ganhar peso, não se expor ao sol e fazer os tratamentos auxiliares que forem indicados pelo médico

4 - Toda cirurgia tem riscos

Com os cuidados pré-operatórios, os riscos diminuem bastante, mas nunca chegam a zero. Como em qualquer cirurgia, há chance de pegar uma infecção, de ficar com hematomas, de ter trombose venosa profunda, que é um problema de circulação em decorrência de cirurgias mais longas. É importante fazer a pré-consulta com o anestesista, por exemplo, e realizar o procedimento em ambiente hospitalar, nunca em uma clínica 

5 - O resultado só vai aparecer de seis meses a um ano depois

Tem que ter paciência. Normalmente, após o procedimento, o corpo vai levar pelo menos seis meses para ter uma redução do edema. A cicatrização final ocorre, em média, entre 12 a 18 meses após a cirurgia. No caso da colocação de prótese mamária, por exemplo, a cicatrização total vai acontecer depois de um ano

6 - É importante escolher bem o profissional

O médico ideal não é aquele que te passa segurança. Vale a pena pesquisar bastante antes de escolher o profissional que fará a plástica. Basta um clique na internet para checar se o médico é habilitado. Para saber, veja se ele é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (www.cirurgiaplastica.

org.br)

Ver comentários