Notícia

Natação para bebês: o que saber antes de levar filho para o mergulho

A natação é uma das atividades mais recomendadas para bebês por dez entre dez especialistas

Bernardo se divertindo na aula de natação com o pai, Márcio Silva: desde os sete meses na piscina
Bernardo se divertindo na aula de natação com o pai, Márcio Silva: desde os sete meses na piscina
Foto: Marcelo Prest | GZ

O pequeno Bernardo não tem nem dois anos de idade e adora mergulhar. Na piscina, parece em casa. “Ele começou a fazer as aulas aos sete meses e gostou de cara!”, diz a mãe do menino, a administradora Mannuella Ferreira, 33 anos.

A natação é uma das atividades mais recomendadas para bebês por dez entre dez especialistas. Mas muitos pais ficam inseguros na hora de jogar a criança na água, com medo de infecções e alergias.

Esta época é ruim pela quantidade de vírus que circula, que deixa o bebê doente com mais frequência. Se ele tem tido gripes, resfriados e outras infecções com frequência, convém esperar um pouco mais
Bruna Lopes - Pediatra

A pediatra Bruna Lopes vê muitas vantagens nessa atividade. “Com bebês pequenos, é trabalhada de forma lúdica, com baixo impacto nas articulações. Mas é um exercício, tem gasto calórico, o que ajuda a criança que está acima do peso. Sem falar que ela já vai se acostumando com a água, aprendendo a se comportar nesse ambiente”, cita.

Para bebês que sofrem de problemas respiratórios, como asma, bronquite, a natação é ainda mais indicada.

“É uma atividade que ajuda a fortalecer a musculatura pulmonar. Crianças asmáticas, por exemplo, conseguem suportar melhor as crises. As que não têm problemas respiratórios também se beneficiam. Quando elas ficam gripadas ou com bronquiolite, pneumonia, conseguem expectorar a secreção mais facilmente, passam pelo momento de crise melhor”, diz a fisioterapeuta respiratória pediátrica Tatiana Rodrigues Souza.

Leia também

A natação traz ganhos para o desenvolvimento do bebê, sendo indicada a partir dos seis meses de vida. “Ela desenvolve as habilidades psicomotoras, o equilíbrio, a agilidade, a autoconfiança, a memória, a imaginação”, enumera a professora Fernanda Arruda de Oliveira.

Segundo ela, ao contrário do que muitos pais pensam, o contato precoce não vai deixar a criança com medo de água.

“Diariamente recebemos crianças com algum tipo de trauma, muitas vezes relacionados a acidentes ocorridos em casa mesmo, clubes etc... Cabe a nós recebermos essas crianças com carinho, adaptando-a novamente a esse ambiente que é a piscina”, diz Fernanda.

Tudo vira uma grande brincadeira. “As aulas para bebês são cantadas. Cada música tem um objetivo, como estimular a respiração, a propulsão de pernas...”, aponta.

Mas e nesta época mais fria do ano, será que a natação pode fazer mal? “É bom colocar na balança, porque são muitos benefícios para crianças asmáticas, por exemplo. Mas também é uma época ruim pela quantidade de vírus que circulam, que deixam o bebê doente com mais frequência. Se ele tem tido gripes, resfriados e outras infecções com frequência, convém esperar um pouco mais”, orienta Bruna Lopes.

"HORA DO TIBUM"

Natação ajuda a melhorar o sistema respiratório?

Sim, pois fortalece a musculatura pulmonar, podendo ajudar a prevenir e até a curar alguns problemas respiratórios

Pode causar dor de ouvido?

Pode. As otites externas são comuns por causa da umidade, do acúmulo de água no ouvido, que pode ocasionar a proliferação de germes. Mas basta secar bem o ouvido após as aulas

Pode fazer em épocas mais frias, como outono e inverno?

Vale avaliar. Se a criança está tendo gripes, resfriados e outras infecções em sequência, pode ser prudente adiar a ida à piscina até a chegada do verão

Faz a criança perder medo de água?

Ajuda a perder o medo e ensina a se comportar no ambiente aquático desde cedo. De seis meses a dois anos, é bom fazer com os pais. As aulas são lúdicas, com músicas, que ajudam na questão da adaptação

Tem outras vantagens para a saúde?

Muitas! A natação desenvolve as habilidades psicomotoras, o equilíbrio, a agilidade, a autoconfiança, a memória, a imaginação

O cloro da piscina pode causar alergia?

Pode causar irritações nos olhos e nariz, embora seja eficiente no controle de micro-organismos na água. Há piscinas salinizadas, que passam por um processo de eletrólise, sem aditivos químicos

Ver comentários