Notícia

Denuncie o comercio ilegal de cães e gatos

Muitos criadores irregulares praticam maus tratos, mantendo os animais de seu plantel em péssimas condições de alojamento

 

Muitos criadores mantém os animais péssimas condições de alojamento
Muitos criadores mantém os animais péssimas condições de alojamento
Foto: Divulgação

O comércio de cães e gatos sem controle é um dos indutores do abandono. Cada vez mais protetores salvam e recuperam cães de raça comprados por impulso e depois jogados fora. Além disso, muitos criadores irregulares praticam maus tratos, mantendo os animais de seu plantel em péssimas condições de alojamento e alimentação, e sem os devidos cuidados veterinários. Em geral, essas pessoas não se importam com os filhotes, disponibilizando-os para comerciantes também ilegais.

A execução da Lei do Comércio de cães e gatos não está sendo devidamente fiscalizada pelo poder público. Por isso, é fundamental que a população e os protetores denunciem estabelecimentos que desrespeitam as regras e, também, as feiras de venda de filhotes ilegalmente montadas em áreas públicas, como ruas e praças.

Filhotes de cães e gatos devem ser vendidos depois de 60 dias de vida, de preferência microchipados, vacinados, com nota fiscal e manual de orientações, contendo dados sobre a raça, tamanho, cuidados básicos. Os canis devem se regularizar perante a Prefeitura, bem como os pet shops que comercializam esses animais. Lembrando que todos os estabelecimentos comerciais devem estar devidamente registrados no sistema CFMV/CRMVs e manter um médico veterinário como responsável técnico, eles terão a responsabilidade técnica de orientar e garantir que os estabelecimentos cumpram a lei.

 

A execução da Lei do Comércio de cães e gatos não está sendo devidamente fiscalizada pelo poder público
Myrna Peres Wanderley

* A autora é médica veterinária

Ver comentários