Notícia

O terno retorna repaginado ao guarda-roupa masculino

Dudu Altoé indica as melhoras maneiras de usar essa peça icônica

O terno retornou ao armário deles
O terno retornou ao armário deles
Foto: Pinterest

O ano de 2018 está na metade, e as novidades não param. As mais recentes dão cabo de um senhor da moda, o terno. A “versão” que usamos ainda hoje data de mais de 200 anos, e seguimos à risca a proposta. O que muda, na verdade, é o que está por trás. Gigantes da moda masculina, a italiana Diesel e a alemã Hugo Boss apresentaram nas últimas semanas propostas bastante interessantes para injetar um novo fôlego ao tema. Sinônimo de jeanswear premium, a Diesel vai mais além propondo um guarda-roupa completo para o homem contemporâneo, e lançou o primeiro terno que não amassa. Sim, é isso mesmo.

O material, pensando em cima da tecnologia de ponta aliada à tecelagem, permite que o paletó e a calça sejam dobrados várias vezes para permitir o transporte em bolsas e malas pequenas. Uma evolução muito comemorada por quem já possui o hábito de usar esses item no dia a dia. Outra novidade comemorada também veio da Europa, desta vez com a assinatura forte da Hugo Boss. A marca, referência em elegância masculina, aposta desta vez no terno lavável em máquina de lavar roupas doméstica. Ponto para a praticidade.

A rotina que envolve levar e buscar ternos na lavanderia pode ser um empecilho para a popularização da peça, verdade? Não mais. Então, a tarefa agora é apostar na “desburocratização” da elegância, mostrando que é possível, acessível e prático incluir o terno na rotina. Não só para ambiente mais formais, mas para todo o restante. Esqueça a gravata e o sapato, e aposte na liberdade de usar a peça com tênis, por exemplo. As cores também podem ser boas aliadas nesse processo. Os azuis, marinho, royal, ou até o lavado, o cinza, e o caqui, todos listados nesta nova cartilha.

 

 

Ver comentários