Notícia

Cuidado: depressão é doença, não tédio

Thalles Contão: depressão não se trata de estarmos "sem saco para nada" e querermos ficar quietos no quarto com filmes, músicas e jogos

Pessoa entediada
Pessoa entediada
Foto: hutterstock.com

 

 

PERGUNTA: GABRIEL

"Sinto um constante vazio e não sinto vontade de fazer nada. Estou sem saco para nada! Tenho constantes discussões com meus pais porque eles não entendem o meu estado e acham que eu deveria me posicionar e parar de dormir o dia todo. Tudo o que tenho vontade de fazer é ficar quieto, no meu quarto, com minhas músicas, meus filmes e meus jogos. Por que alguns pais têm tanta dificuldade de entender os problemas psicológicos?"

Caro leitor, tenho uma questão semelhante à sua: por que as pessoas têm tanta dificuldade de entender os problemas psicológicos, a começar pelos próprios. Mas podemos tentar responder juntos a ambas questões. Podemos partir de uma simples análise da realidade a nossa volta e perceber que a grande preocupação das pessoas é a imagem que as outras pessoas têm delas, ou mesmo a imagem que gostariam de ter de si próprias. Nessa condição abre-se oportunidade para nossas respostas: os pais não querem entender os problemas psicológicos dos filhos, porque isso fere a imagem que eles gostariam de ter sobre os pais que são, e as pessoas não querem entender os próprios problemas psicológicos porque não querem perceber que a imagem que gostariam de ter de si próprias não é aquela que possamos chamar de imagem verdadeira.

A partir das nossas respostas, queria te propor entender o que se passa com você, e a partir daí entender o que se passa com seus pais. Você constrói uma apresentação do seu problema apontando para uma nada absoluto. Uma certeza diagnosticada por si próprio que infere um estado depressivo irremediável, apontado na sensação de vazio, ausência de vontade, no sono desregulado e no isolamento social. Isso tudo, claro, coroado pela falta de compreensão dos pais. E em tudo isso vejo um problema sério: o entendimento do que é um quadro depressivo. Depressão, caro leitor, é um estado de sofrimento psicológico muito sério que não emana do tédio.

Acredite, a depressão não se trata de estarmos “sem saco para nada” e querermos ficar quietos no quarto com filmes, músicas e jogos. Não se trata de um conflito adolescente diante do excesso de oportunidades. É uma doença grave que rouba a vida das pessoas e não é diagnosticada por intermédio de sintomas genéricos de informações de internet. O que se passa com você é uma experiência de tédio adolescente associado à pressão familiar tardia. Querer estar o tempo inteiro com coisas que gosta e distante de outras coisas, as não-prazerosas, não é a descrição sintomática de uma psicopatologia, mas é o desejo da maioria dos filhos de Adão neste planeta! Caro leitor, se há algo que seus pais precisam entender de problemas psicológicos nos filhos, seriam aqueles dos quais eles são participantes, problemas desencadeados por uma criação superprotetora e pródiga, a que transforma um adulto formado numa criança existencial. Eles estão errados em te cobrar, mas em te cobrar somente agora, já que não te deixaram ter contato com o mundo real através das frustrações, limites e negações quando era o momento. Ninguém vira adulto num passe de mágica, e o erro dos pais de hoje é acreditar nisso!

No seu caso, se há algum problema psicológico, não parece ser depressão, mas um problema de adequação etária, não perceber que é um homem adulto responsável pela própria vida, que precisa enfrentá-la, aproveitando todas as oportunidades que tem, advindas do acesso econômico e estrutura familiar, e é incapaz de perceber porque acredita que a imagem que procura sobre si mesmo é a real. Aos 22 anos, você não precisa da compreensão dos seus pais, você precisa entender por si mesmo que o nada que sente diz respeito ao tudo que sempre teve, e deve usar essas coisas para se preparar para manter futuramente o que gosta, quando não existir mais pais para te oferecer um quarto para ficar quieto!

Ver comentários