Notícia

Conheça a história de Felicette: o primeiro felino enviado ao espaço

Os franceses selecionaram 14 gatos que foram submetidos a todos os tipos de testes. Mas só dois foram os escolhidos, o gato Felix, e a gata Felicette

A gatinha Felicette, que foi enviada ao espaço pela França
A gatinha Felicette, que foi enviada ao espaço pela França
Foto: Divulgação

Meu querido diário... Estão dizendo por aí que a Lua vai ser o lugar mais agitado do Sistema Solar nos próximos anos. A Nasa acabou de apresentar um programa para estimular missões privadas à superfície do satélite natural. Eu bem que gostaria de dar uma voltinha na Lua, mas acho que minhas mamis não teriam dinheiro suficiente para bancar essa viagem (risos).

Aliás, é bom lembrar que antes de o homem chegar à Lua, a participação dos animais nos programas soviéticos e norte-americanos foi de fundamental importância para conquistar o espaço. No lado russo, os cães foram os eleitos – a Laika foi o primeiro ser vivo a entrar em órbita.

Mas você sabia que os franceses, em seu incipiente programa espacial nos anos 1960, escolheram os gatos para as suas missões espaciais? Não é de estranhar, já que eles são apaixonados por felinos. É uma história bem curiosa, já que não somos os animais mais obedientes do mundo e muito menos os mais ideais para serem adestrados. Eu, por exemplo, rebelde que sou, dificilmente conseguiria passar por esse treinamento (miauf!).

Leia também

Os franceses selecionaram 14 gatos que foram submetidos a todos os tipos de testes. Mas só dois foram os escolhidos, o gato Felix, e a gata Felicette. O restante foi reprovado, e o motivo: sobrepeso (gordinha que sou, já ficaria de fora).

O problema é que em 24 de outubro de 1963, dia do lançamento, Felix simplesmente desapareceu, foi procurado por todos os cantos, mas ninguém o encontrou. Aliás, ele nunca mais foi achado. Diante de sua fuga, não teve outro jeito, a não ser enviar Felicette, a segunda na linha de sucessão. E foi assim que ela se transformou no primeiro felino a alcançar o espaço.

Ela fez a viagem a bordo do foguete Veronique. O lançamento foi um sucesso, Felicette alcançou o espaço, chegando a uma altura de 156 quilômetros (é bom lembrar que a linha imaginária que delimita a Terra e o espaço fica na altura de 100 quilômetros acima do nível do mar).

Durante pouco mais de cinco minutos, Felicette conviveu com a falta de gravidade. Ela ficou no espaço, após o lançamento, durante 13 minutos antes de voltar à Terra. E chegou bem por aqui.

Após o seu pouso, os cientistas franceses estudaram as ondas cerebrais de Felicette para ver se elas teriam sido alteradas. Embora não se saiba muito sobre o que rolou depois, e nem sobre o paradeiro da gatinha, ela deixou uma contribuição valiosa nessa pesquisa que tem como objetivo conquistar o espaço. Mas poucas pessoas conhecem essa história.

Por isso vim aqui contá-la, hoje. Levanta as patas, quem de vocês, meus amigatos, gostaria de fazer uma viagem ao espaço? Euuuuuuu!!!!!! Lambeijos

É o bicho
É o bicho
Foto: Divulgação

Me adota, vai

E aí galera! Eu sou a Morango. As tias do abrigo falam que sou uma delícia! E sou mesmo! E posso ir para sua casa, para completar a alegria da sua família. Sou vacinada e castrada. Gostou de mim? Vem me buscar. É só entrar em contato pelo e-mail [email protected]mail.com ou pelos telefones (27) 99944-9525 (Jussara) ou (27) 99878-4912 (Rubia).

 

 

É o bicho
É o bicho
Foto: Divulgação

#eobichoag

Gente, esse é o @sherlock.lakshmi.luke. Ele tem quase 70 mil seguidores, é lindo, né? E olha esse cãochecol animal print, que ele está usando para se proteger do frio? A peça estilosa é da @animalie. A Chloé e a Frida simplesmente amaram! E eu, essa colunista que vos escreve, também, afinal é a cara da Confraria das Onças, não é?

Ver comentários