Notícia

Estilista capixaba fará desfile de moda praia na China em outubro

Patiara Aguiar levará sua marca para o Festival de Moda de Macau

A estilista capixaba Patiara Aguiar vai fazer desfile na China
A estilista capixaba Patiara Aguiar vai fazer desfile na China
Foto: Fernando Madeira

O céu parece ser o limite para a estilista capixaba Patiara Aguiar. Depois de esterar em desfile solo na São Paulo Fashion Week (SPFW), no mês de abril, ela agora faz um feito inédito: fará um desfile na Ásia em outubro. A Borana, sua marca, foi a única do Brasil, selecionada para o evento. "Ser a marca escolhida nos causou um grande impacto porque concorremos com grandes grifes brasileiras", conta ela.

Aos 31 anos, produzindo cerca de 10 mil peças mensais, Patiara conta que gosta de fazer biquínis para mulheres de verdade. Tanto que, no casting de seus desfiles, pede para o stylist escolher modelos com um corpo menos magro. 

> Estilista capixaba estreia no São Paulo Fashion Week

O desfile na China contará basicamente com as mesmas peças do desfile realizado na SPFW. Na passarela muito patchwork, mix de estampas e trabalho manual, numa coleção inspirada no reggae. Ainda assimilando a notícia, ela conversou com a Revista.ag. 

Como surgiu essa oportunidade de desfilar no Festival de Moda de Macau?

A Borana é uma empresa associada a Texbrasil (programa de internacionalização da Indústria Têxtil Brasileira) e a Associação Brasileira da Indústria Têxtil (ABIT), que são as duas entidades que promovem o setor de exportação brasileiro. Recebi o convite para participar de uma seleção de empresas, concorrendo com grandes marcas que fazem parte desses programas.

Quando você ficou sabendo e qual foi sua reação?

A seleção foi feita em Macau e recebi um email da organização do evento na última terça. Ainda estou anestesiada, a ficha não cai! Ser a marca escolhida nos causou um grande impacto porque concorremos com grandes marcas brasileiras.

Que evento é esse?

O Macau Fashion Festival (MFF) é um evento anual de grande repercussão na Ásia. Um dia após o desfile, acontecerá uma rodada de negócios. Além do reconhecimento internacional que terei como estilista, será uma credencial que certamente me levará a outros tantos eventos.

Depois da China, o céu é o limite?

Essa foi a frase que falei no dia da seleção do Top5 (programa que me levou a desfilar na São Paulo Fashion Week). Acho que me deu sorte, né? De dois anos pra cá, tudo tem acontecido de uma forma intensa e incrível demais. Eu costumo não fazer tantos planos. Trabalho muito e confio em Deus. Já iniciamos a construção da nova fábrica que vai nos estruturar para a abertura de lojas fora do estado e, quem sabe, em Portugal, que é o meu grande sonho.

Ver comentários