Notícia

Norma Marques, a cerimonialista do ES que reinventa festa e casamento

Aos 65 anos, a advogada por formação é referência capixaba quando a ideia é fazer algo inovador até nas mais tradicionais cerimônias de casamento

Foto: Vitor Jubini

“Com o batom certo e um lenço eu enfrento o que for”, dispara Norma Marques, de 65 anos, no finzinho do bate-papo com a coluna. Mas a frase tem um efeito e tanto para ela, que reinventa o que é um cerimonial dia a dia. Ela não só foi a cerimonialista que assinou a organização do primeiro casamento coletivo LGBT do Espírito Santo, em maio de 2016, como também foi a primeira do ramo que deu a cara a tapa ao promover a I Mostra de Casamentos Homoafetivos do Estado, em setembro deste ano. Mas a advogada por formação não ostenta essa fama de ousar e fazer o diferente só porque embarcou nos casamentos gays.

“Se reinventar vai muito além disso. É entender que a sociedade está mudando e que você tem que mudar junto dela”. Há 28 anos ela passou a se dedicar exclusivamente aos eventos – antes, dividia sua agenda com a carreira no Direito – e hoje sabe que o tratamento que um fornecedor dá a um cliente determina (e muito!) a decisão final. Sem poupar, solta: “Já vi muito empresário não fechar contrato por uma indelicadeza no atendimento”. A mãe de Gianfranco, de 42 anos, e Natasha, de 41 anos, é daquelas que observa os pormenores com toda a delicadeza. Segue o protocolo à risca. Tanto que além de dominar a arte das boas maneiras já deu até aula sobre o assunto - literalmente.

Foto: Vitor Jubini

“Ensinava ‘Etiqueta e Boas Maneiras’ e ‘Cerimonial e Protocolo’. Saí há uns três anos. Hoje em dia posso me dar ao luxo de decidir com o que e em que vou me empenhar”, fala. E repare, caro leitor, ela usa “empenhar”. “Isso começou com papai fazendo festa. Ele ensinou a mim e a meus cinco irmãos que nós tínhamos que trazer novidades. Nos cobrava isso todos os dias à mesa do jantar. Então, me empenho, me dedico. Dou o meu melhor”, continua.

Norma pode até não saber os rumos que a profissão vai tomar, mas sabe que vai acompanhá-los. E finaliza: “Cada dia mais há necessidade de ampliar. E o Direito me ajuda muito. Cerimonial é tradição e história, tudo o que o Direito ensina”.

Norma Marques, a cerimonialista do Espírito Santo que reinventa festas e casamentos, abre seu baú para a Revista.AG | Virei mãe: "Esse colar representa a árvore da vida. Tive essa peça assim que soube que iria ser mãe do meu primeiro filho, para comemorar. Queria muito ser mãe"
Norma Marques, a cerimonialista do Espírito Santo que reinventa festas e casamentos, abre seu baú para a Revista.AG | Virei mãe: "Esse colar representa a árvore da vida. Tive essa peça assim que soube que iria ser mãe do meu primeiro filho, para comemorar. Queria muito ser mãe"
Foto: Vitor Jubini
Norma Marques, a cerimonialista do Espírito Santo que reinventa festas e casamentos, abre seu baú para a Revista.AG | Casal da decisão: "Adquiri essas peças em Belo Horizonte. Eles representam o casal da história da felicidade, mas me ajudaram muito em um momento de decisão da minha vida"
Norma Marques, a cerimonialista do Espírito Santo que reinventa festas e casamentos, abre seu baú para a Revista.AG | Casal da decisão: "Adquiri essas peças em Belo Horizonte. Eles representam o casal da história da felicidade, mas me ajudaram muito em um momento de decisão da minha vida"
Foto: Vitor Jubini
Norma Marques, a cerimonialista do Espírito Santo que reinventa festas e casamentos, abre seu baú para a Revista.AG | Profundidade: "Também uso este item quando preciso tomar decisões. Olho para o desenho e fico pensando: Qual é o peso e a profundidade dessa ação?. É isso que ele representa. E me ajuda muito. Ganhei de uma pessoa querida"
Norma Marques, a cerimonialista do Espírito Santo que reinventa festas e casamentos, abre seu baú para a Revista.AG | Profundidade: "Também uso este item quando preciso tomar decisões. Olho para o desenho e fico pensando: Qual é o peso e a profundidade dessa ação?. É isso que ele representa. E me ajuda muito. Ganhei de uma pessoa querida"
Foto: Vitor Jubini
Norma Marques, a cerimonialista do Espírito Santo que reinventa festas e casamentos, abre seu baú para a Revista.AG | Arte de viver: "Esse livro eu ganhei. Ele diz muito de como eu ajo no meu dia a dia. E  acredito muito nesse mantra, "Vivendo, Amando e Aprendendo", que a obra traz"
Norma Marques, a cerimonialista do Espírito Santo que reinventa festas e casamentos, abre seu baú para a Revista.AG | Arte de viver: "Esse livro eu ganhei. Ele diz muito de como eu ajo no meu dia a dia. E acredito muito nesse mantra, "Vivendo, Amando e Aprendendo", que a obra traz"
Foto: Vitor Jubini
Norma Marques, a cerimonialista do Espírito Santo que reinventa festas e casamentos, abre seu baú para a Revista.AG | Trabalho à mão: "Esta peça  veio de Aruba. Estava viajando de férias e vi o artista entalhando esculturas desse tipo. Fiquei admirada com o trabalho à mão e o artista me presenteou com essa peça"
Norma Marques, a cerimonialista do Espírito Santo que reinventa festas e casamentos, abre seu baú para a Revista.AG | Trabalho à mão: "Esta peça veio de Aruba. Estava viajando de férias e vi o artista entalhando esculturas desse tipo. Fiquei admirada com o trabalho à mão e o artista me presenteou com essa peça"
Foto: Vitor Jubini

Ver comentários