Notícia

Seguro de vida para profissões de risco

Nova modalidade de serviço é voltada para trabalhadores que antes não encontravam cobertura nos seguros tradicionais

.

Chegar em casa com a sensação de missão cumprida é gratificante para quem escolhe uma profissão arriscada, cujo principal objetivo é preservar a vida das pessoas, como vigilantes, policiais e bombeiros. No entanto, esse tipo de trabalhador encontra dificuldade na hora de contratar um seguro de vida devido ao nível de periculosidade da sua atividade. O mesmo ocorre com aqueles que atuam em áreas com grande probabilidade de acidentes, como é o caso de operários da construção civil.

A categoria profissional e os riscos que ela submete o trabalhador são determinantes na hora de fechar o valor de um acordo de seguridade. Em muitos casos, as seguradoras não aceitam contratos com determinadas carreiras.

Neste ano, a Banestes Seguros (Banseg) passou a oferecer uma variedade de serviços destinados exclusivamente para trabalhadores das chamadas profissões de risco.

 

.
.
Foto: Divulgação

 

“Identificamos a existência deste nicho e desenvolvemos o produto Vida Segura especificamente para ele, completando o leque de coberturas oferecidas aos capixabas”, explica o diretor-presidente da Banestes Seguros, Otacílio Pedrinha de Azevedo.

Lançado em março deste ano, a nova modalidade de seguro oferece maior flexibilidade na hora da contratação e maior cobertura em um único produto. Já há um número significativo de contratos, e a expectativa da Banestes Seguros é que o Vida Segura cresça ainda mais.

“Esse novo produto atende uma demanda existente, não só em relação aos profissionais, mas também a parceiros empresariais, que necessitam deste tipo de cobertura para seus empregados, como é o caso da construção civil e de extração mineral, como mármore e granito”, afirma Pedrinha.

Um seguro tradicional leva em consideração os riscos da profissão que a pessoa desempenha, o que tornava os valores da apólice desses profissionais praticamente inviáveis. O presidente da Banseg explica que, com o Vida Segura, eles têm acesso a um plano com valores acessíveis e regras específicas para o seu segmento.

“O que ele tem de diferente é a existência de carência, de dois anos em caso de morte acidental, auxílio-funeral e auxílio-alimentação. Essa regra ajuda a tornar o preço muito mais acessível. Nas outras coberturas, incluindo morte natural, fora do ambiente de trabalho, não existem carências, com o seguro vigorando a partir de sua contratação”, explica Pedrinha.

Mercado

Hoje, o mercado brasileiro de seguros é de mais de R$ 360 bilhões, quando incluídos Previdência e Saúde. No Espírito Santo, apenas nos cinco primeiros meses de 2017, o segmento movimentou mais de R$ 669 milhões. Em todo país, assim como no Estado, os maiores volumes de prêmios são dos seguros de automóvel e de pessoas.

As maiores seguradoras do país e do exterior atuam no Espírito Santo. Ainda assim, Banestes Seguros, que foi criada em 1971 e é a primeira empresa de seguros do Estado, detém uma fatia considerável do mercado local.

A Banseg possui a liderança de mercado nos ramos de automóvel, com 14%, e de seguros de vida, com aproximadamente 30%, e ainda possui em seu portfólio coberturas para acidentes pessoais, seguros residenciais e previdência privada.