Notícia

Novas profissões vão ditar ritmo a mercado de trabalho

Maioria dos jovens de hoje vai trabalhar em funções que ainda não existem. Levantamento do Senai prevê cerca de 30 novas funções

Evolução tecnológica exige mais preparo dos jovens. Mudanças pedem novas habilidades
Evolução tecnológica exige mais preparo dos jovens. Mudanças pedem novas habilidades
Foto: Alexandre Mendonca

A evolução tecnológica tem ditado o ritmo das mudanças na sociedade e no mercado de trabalho. Essa influência já dá sinais de que não será pequena. Um levantamento do Fórum Econômico Mundial aponta que 65% das crianças e adolescentes de hoje – em especial nascidos entre 1998 e 2010 – devem trabalhar em profissões que nem sequer existem atualmente.

Os avanços nas áreas de robótica e de inteligência artificial aceleram esse compasso. Segundo estimativas do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), a previsão é que surjam 30 novas ocupações em áreas que devem sofrer o maior impacto da chamada “Indústria 4.0” ou “Quarta Revolução Industrial”, termo usado para a integração do mundo físico e virtual, por meio de tecnologias digitais, como big data e inteligência artificial.

Os setores da economia que devem sofrer mais influência serão: o automotivo; o de alimentos e bebidas; o de máquinas e ferramentas; o de petróleo e gás; o têxtil e vestuário; o de química e petroquímica; os de tecnologias da informação e comunicação; e o de construção civil.

Estar preparado para essas mudanças será o grande desafio para os educadores e para os jovens de hoje, que serão os profissionais de amanhã. De acordo com Priscilla Carneiro, diretora de Educação do Sesi-ES e do Senai-ES, as modificações exigem cada vez mais novas habilidades e conhecimento.

Para isso, a partir de 2019, serão implementadas no dia a dia dos alunos da Rede Sesi de Educação novas atividades curriculares, como a metodologia de Educação Maker, o Programa de Orientação Profissional e o Programa Bilíngue. O Sesi-ES possui mais de 10 mil alunos atendidos pelo ensino regular, e 108 mil matriculados em cursos livres.

“Nossa rede de ensino está acompanhando todo esse processo de mudanças e evolução do mercado de trabalho. O conceito de ‘Educação Maker’, por exemplo, é uma extensão da cultura do ‘faça você mesmo’, com a introdução de conteúdos de forma dinâmica e ativa. As aulas teóricas vêm sendo substituídas por atividades e projetos práticos em laboratórios”, explica a diretora.

Já no Programa de Orientação Profissional (POP), que será aplicado a partir do sexto ano, o jovem já começa a elaborar o seu projeto de vida no ambiente escolar. “Será uma excelente forma de dar mais validade às aprendizagens das disciplinas curriculares e à aplicabilidade delas no mundo”, pondera Priscilla, que explica que o Programa Bilíngue da grade curricular do Sesi, em um ciclo inicial, vai da 1ª série do ensino fundamental até o 9º ano.

“O Programa Bilíngue se torna uma mola propulsora para grande melhora do rendimento escolar do aluno e estabelece uma série de benefícios para o desenvolvimento cognitivo e emocional”, afirma.

Atividades como mecânico de carros híbridos, especialista em telemetria, engenheiro de cibersegurança, técnico em automação predial e projetista de tecnologias 3D, além de outras funções que envolvam tecnologias digitais, devem ser profissões que ganharão relevância nos próximos anos, ao mesmo tempo em que outras atividades devem ser descontinuadas.

Torneio de Robotica
Torneio de Robotica
Foto: Alexandre Mendonca

Novidades do Senai

Curso Técnico em Mecatrônica - Pela primeira vez, o Estado conta com um curso técnico nesta área. Sediado no Senai Beira-Mar, em Vitória, a formação prepara o aluno para o desenvolvimento dos sistemas automatizados de manufatura.

MBA em Lean Manufacturing - O curso destina-se aos técnicos das áreas industriais, engenheiros e profissionais de áreas afins, e faz parte das ações educacionais de aprofundamento de competências relacionadas a um determinado perfil profissional. O objetivo é coordenar pessoas e recursos da produção, implementar e manter processos produtivos integrados, seguindo normas de segurança, higiene, qualidade e preservação ambiental.

Cursos de Indústria Avançada - O portfólio do Senai-ES conta com cursos de curta duração voltados ao aperfeiçoamento profissional nas tecnologias habilitadoras da Indústria 4.0: Conectando Conceitos na Prática - 40 horas; Explorando Big Data - 56 horas; Programação Móvel para IoT - 40 horas.

Lean Educacional - Ainda neste ano, cinco unidades do Senai-ES vão receber o piloto dessa nova metodologia em suas oficinas de usinagem. O projeto tem como propósito a redução dos desperdícios presentes dentro do âmbito educacional, aumentando a qualidade do ensino e otimizando seus recursos dentro das escolas.

Indústria 4.0 na grade curricular - A partir de 2019, os cursos oferecidos pelo Senai-ES terão os conceitos das principais tecnologias habilitadoras da Indústria 4.0 em sua grade curricular, como sensoriamento, virtualização, internet das coisas, big data, além de conhecimentos sobre as novas tecnologias digitais, técnicas de programação e análise de dados, resolução de problemas complexos, por meio das chamadas competências socioemocionais.

Eficiência operacional - Os cursos técnicos do Senai-ES já contemplam conhecimentos de Lean Manufacturing como forma de capacitar os alunos a identificar os desperdícios, tratar os gargalos e aumentar a produtividade da indústria.

Ver comentários