Destaque no The Voice, capixaba está em projeto social desde os 6 anos

Desde os 6 anos de idade, o garoto frequenta o local, quatro horas por dia, de segunda a quinta-feira

Publicado em 07/01/2019 às 13h57

Atualizado em 07/01/2019 às 17h09

Néia, Jeremias e Edilene
Foto:Laila Magesk
Néia, Jeremias e Edilene

O Brasil se emocionou ao conhecer o talento do capixaba Jeremias Reis, de 11 anos, neste domingo (06) no programa The Voice Kids, da TV Globo. De origem humilde, o menino teve a chance de estudar música em um projeto social, chamado Projeto Legal, que atua há quase 20 anos no bairro Central Carapina, na Serra. 

>Jeremias: da casa destruída pela chuva na Serra ao sucesso no The Voice

Desde os 6 anos de idade, o garoto frequenta o local, quatro horas por dia, de segunda a quinta-feira. E foi a coordenadora do projeto, Edilene Corrêa Battisti Santos, quem o inscreveu na atração. Já quem o acompanha nas viagens para o Rio de Janeiro, como vai acontecer nesta segunda, é a tia do menino na instituição, a Néia Lima. 

Em conversa com a reportagem do Gazeta Online, a coordenadora conta como tudo aconteceu. Confira abaixo.

INSCRIÇÃO

"Eu que inscrevi o Jeremias. Primeiro nós ficamos sabendo pelo site que estavam acontecendo as inscrições. Perguntei para ele junto com a educadora de música se era da vontade dele participar. Ele disse que era. Chamei a mãe, antes de inscrever. Conversei com a mãe e deixe bem claro que, se ele passasse, a gente ia correr atrás. Nós fizemos os vídeos e enviamos no ano passado. Em abril de 2018, deram o retorno que ele tinha sido selecionado. Nisso, a gente foi acompanhando. Tudo com a mãe presente, a instituição dando apoio."

TEATRO E MÚSICA

"Ele frequenta o projeto de segunda a quinta-feira, no período da tarde, quatro horas por dia. De manhã, ele está na escola. A irmã dele também participa do projeto. Ele faz atividade lúdicas e recreativas, artesanato, ele adora fazer teatro e encenações. Ele ama cantar. Agora está quereno aprender teclado. Às terças e às quintas, ele participa das aulas de canto, junto com o grupo do coral e a banda infanto-juvenil 'Som da Vida'."

PROJETO LEGAL

"O projeto este ano faz 20 anos que está atuando no bairro Central Carapina. É um serviço de convivência e fortalecimento de vínculo apoiado pela Prefeitura da Serra, grandes empresas e uma fundação italiana. São atendidas crianças de 6 anos a 17 anos e 11 meses. São 200 crianças. Há outros projetos da Rede Aica* na Serra. As atividades são relacionadas à cidadania, trabalha direito e deveres. Tem oficina de capoeira, artesanato, inclusão digital, música..."

*A Rede Aica é um programa de Atendimento Integrado à Criança e ao Adolescente, ligado à Pastoral do Menor, criado em 1997. É um trabalho social, em rede, desenvolvido nos municípios de Serra e Santa Teresa, com ações dirigidas para a defesa e promoção da vida de crianças e adolescentes em situação de risco pessoal e social.

ESCOLHA DA MÚSICA

"Eles (produção) mandam a gente escolher 10 músicas que não foram cantadas nas outras três edições do programa. A gente tem que procurar as músicas e conversar com ele. Por incrível que pareça, ele queria muito cantar 'Semente do Amanhã'. É coisa de Deus mesmo. Quando eles selecionaram essa música, eu me emocionei, porque ele queria muito cantar. Foi muito lindo. Emocionou tanto que a gente ficou até rouco de tanto gritar."

VIAGENS

"Ele foi uma três vezes ao Rio de Janeiro para ensaiar, ouvir a voz, tirar o tom. Ele viaja hoje à noite para o Rio. A tia que está acompanhando ele é a do projeto, que orienta ele. Ela ficou tão empolgada que queria entrar no palco. Se fosse eu teria feito a mesma coisa (risos). A gente ia desmaiar na hora. Ele fechou (o programa) com chave de ouro. A gente estava na dúvida se ele ia passar ontem, mas mandei um zap para o pessoal de lá e eles me falaram que ele seria o último a se apresentar."

POR QUE INSCREVER O JEREMIAS?

"É um menino de ouro, iluminado por Deus. Ele tem uma luz especial. Desde pequeno eu vi ele cantando e encenando. Desde 6 anos ele fazia musicalização. Via nele o ardor de cantar, o amor pelo canto. Falei com a tia, a Néia Lima, para quando tivesse uma seleção, inscrevê-lo. Aí surgiu essa oportunidade. Trabalhamos a voz, a disciplina. A mãe, na humildade dela, achava que ele não ia passar. Ela já passa tanta dificuldade na vida... É muita dificuldade onde eles moram. Quando tem enchente, enche tudo, eles perdem tudo. A tia do projeto acompanha porque a mãe tem outros dois filhos pequenos, de 7 anos e 1 ano e 11 meses."

Compartilhe



Mais no Gazeta Online