Notícia

O mistério do avião que levantou voo no aeroporto de Vitória e nunca mais foi encontrado

A aeronave e seis pessoas, que participavam de um voo teste, desapareceram em 1949

Arte Capixapédia

Em 19 de dezembro de 1949 o avião Douglas DC3, de prefixo PPAXG, da empresa Aerovias Brasil, levantou voo no Aeroporto de Vitória. O comandante Carlos Gomes do Rego, um dos mais experientes da companhia, pilotava a aeronave "Amazonas" de maneira experimental para testar reparos no motor.

Avião levantou voo no aeroporto de Vitória em 1949 e até hoje nada foi encontrado

O avião levantou voo às 12h24 e, 20 minutos depois, perdeu o contato com a torre de controle. Contato que nunca mais seria restabelecido. O avião nunca foi encontrado e seu desaparecimento permanece um mistério até hoje.

O Douglas DC3 PPAXG fazia a linha Natal - Rio de Janeiro e pousou em Vitória acusando grave defeito num dos motores. Jornais da época informaram que outro avião passou a fazer a linha para que o Douglas fosse consertado. De São Paulo, a empresa enviou um motor, que foi devidamente trocado.

No voo de experiência estavam, além do comandante, o co-piloto Luiz Gutierrez, o radio-operador Egídio Cardoso, o mecânico J. Brasiliano e ainda Antonio Gomes Filho e Albino de Tai, dois funcionários da administração do Porto de Vitória, que insistiram em fazer o "passeio".

A aeromoça Elvira Antunes de Sousa e dois mecânicos da tripulação permaneceram em terra e escaparam do misterioso destino do avião.

As buscas

A Aerovias Brasil providenciou trabalhos de pesquisa para a descoberta do avião. A Força Aérea Brasileira (FAB) deslocou duas aeronaves para realizar as buscas, que continuaram insistentemente por quase duas semanas, somando por fim cinco aviões e várias embarcações, já que a principal suspeita era de que o avião tivesse caído no litoral do Estado.

Avião levantou voo no aeroporto de Vitória em 1949 e até hoje nada foi encontrado
Avião levantou voo no aeroporto de Vitória em 1949 e até hoje nada foi encontrado
Foto: Reprodução

Os jornais da época se recusavam a acreditar numa tragédia, creditando à experiência do piloto um possível pouso em praias capixabas. "Dada a perícia do piloto, imaginou-se que o avião tivesse pousado na praia. O piloto era um dos mais experientes da Aerovias . Portanto, contavam com isso", descreve um periódico.

O mistério ficou marcado na história da aviação também por ter sido o primeiro acidente da companhia Aerovias Brasil, uma das poucas que fazia trajetos estrangeiros em 1949.

A fundação Flight Safety, por meio do site Aviation Safety Newtwork, cataloga de maneira atualizada aeronaves e seu paradeiro. Uma consulta recente realizada pela reportagem observa que o avião continua desaparecido e o destino presumido é uma queda no mar. Os seis tripulantes da aeronave são dados como mortos.

O avião

A aeronave "Amazonas", um Douglas C-47A-30-DK Dakota III, voou pela primeira vez em 1944. O modelo teve uma produção de 13 mil unidades e utilizava a propulsão de dois motores. O avião pesava 12.700 quilos.

Avião levantou voo no aeroporto de Vitória em 1949 e até hoje nada foi encontrado
Avião levantou voo no aeroporto de Vitória em 1949 e até hoje nada foi encontrado
Foto: Reprodução

O avião podia transportar até 34 passageiros e era utilizado pela Aerovias Brasil para realizar transporte de cargas e de passageiros utilizando a rota Natal, no Rio Grande do Norte, até a Capital do Rio de Janeiro.

Esta Capixapédia foi produzida com o auxílio técnico do Centro de Documentação do jornal A Gazeta.

Ver comentários