Notícia

Há 27 anos, Nelson Mandela visitava o Espírito Santo

Ex-presidente sul-africano e prêmio Nobel da paz provou e aprovou a moqueca capixaba e passou três dias em visita oficial ao ES

especial

Nesta quarta-feira (18) o ex-presidente sul-africano e ativista do movimento negro Nelson Mandela completaria 100 anos de vida. Conhecido pela sua luta contra a segregação racial, Mandela chegou a ganhar o prêmio Nobel da Paz em 1993.

Antes disso, em 1991, o ex-presidente desembarcava em terras capixabas. "Estou muito feliz. Fui recebido com muito carinho" foi uma das frases ditas por ele, ao discursar para cerca de 7 mil pessoas, em Cariacica.

Ele chegou em Vitória, no dia 4 de agosto de 1991, um sábado, às 22h40. No desembarque da comitiva presidencial, corria o burburinho de que Mandela, então com 79 anos, se sentia fraco e havia a apreensão de que os eventos programados fossem cancelados.

Ex-presidente sul-africano e prêmio Nobel da paz, Nelson Mandela em evento no Estádio Engenheiro Araripe, em Cariacica, no Espírito Santo
Ex-presidente sul-africano e prêmio Nobel da paz, Nelson Mandela em evento no Estádio Engenheiro Araripe, em Cariacica, no Espírito Santo
Foto: Chico Guedes

Na época, ele ainda presidia a África do Sul e veio em viagem oficial acompanhando da então esposa Winnie Mandela, que morreu em abril deste ano. Assim como o Mandela, Winnie ficou conhecida por sua luta a favor de igualdade racial. O casal se separou em 1996.

Do aeroporto, Mandela e a comitiva presidencial seguiram para a Residencial Oficial do governo do Estado, na Praia da Costa, em Vila Velha. O governador capixaba era Albuíno Azeredo.


Evento

Contrariando a especulação de que estava fraco e que cancelaria alguns compromissos, no dia seguinte ao desembarque em Vitória, era domingo, fazia sol e cerca de 7 mil capixabas trocaram a praia pelo estádio Engenheiro Araripe, em Cariacica. A expectativa não era por uma partida de futebol, mas sim, para ver e ouvir o Nelson Mandela. Há quem diga o parte do público foi atraído pela possibilidade de ver, de graça, shows de Alcione e Neguinho da Beija-Flor.

Mas não teve quem não se emocionasse ao ouvir o discurso de Mandela. Ele lembrou a luta contra o Apartheid - regime político que impunha separação entre brancos e negro - e destacou belezas do Espírito Santo, dizendo que contaria ao mundo sobre as belezas capixabas.

Na época ele disse que "o povo do Espírito Santo está inteiramente conosco nessa luta pela libertação da África do Sul e com seu apoio não há duvidas que vamos vencer."

Estrela de cinema

Bandas de congo, grupos folclóricos e cantores nacionais também participaram do evento no qual Mandela era a atração principal. A chegada dele no estádio, a bordo de um helicóptero, foi um show à parte. Ele desembarcou no gramado acompanhando, entre outras pessoas, do então governador do Estado Albuíno Azeredo.

Moqueca

Durante os três dias que ficou no Espírito Santo, Mandela ficou hospedado na Residencial Oficial. Foi lá, aliás, que ele provou e aprovou a moqueca capixaba. Destacou, especialmente, o sabor do badejo e do siri, servidos no almoço. No quesito bebida, o guaraná foi o que mais agradou o ex-presidente que pediu, inclusive, que o estoque disponível no quarto dele fosse dobrado.

Na segunda-feira seguinte ao desembarque, Mandela e sua comitiva viajou para Brasília. Na capital federal, destacou a receptividade dos brasileiros. "Estou muito feliz. Fui recebido com muito carinho. Não esperava uma manifestação como essa no Brasil", Nelson Mandela.

Você esteve no estádio Engenheiro Araripe durante esta visita de Mandela? Mande seu relato ou sua foto para a Rede Gazeta. Nosso e-mail é [email protected]


Ver comentários