Notícia

Polícia faz perícia complementar em carro da Tijuca que desabou na Sapucaí

Os agentes chegaram em duas viaturas à Cidade do Samba, localizada ao lado do Sambódromo, para onde a alegoria foi levada após o desfile

Acidente com carro alegórico antes do Desfile da escola de samba Unidos da Tijuca
Acidente com carro alegórico antes do Desfile da escola de samba Unidos da Tijuca
Foto: CARLOS MORAES

Uma equipe de quatro peritos da Polícia Civil realizou, na manhã desta terça-feira, uma perícia complementar no carro alegórico da Escola de Samba Unidos da Tijuca que desabou ferindo 12 pessoas no segundo dia de desfiles na Sapucaí. Os agentes chegaram em duas viaturas à Cidade do Samba, localizada ao lado do Sambódromo, para onde a alegoria foi levada após o desfile.

Dois integrantes da Unidos da Tijuca acompanharam os trabalhos, que duraram cerca de 20 minutos. Os agentes entraram no caminhão que compõe a estrutura do carro alegórico, vistoriaram e tiraram fotos das avarias do carro. O laudo pericial ainda não tem data para ser divulgado.

A Polícia Civil informou que foi instaurado um procedimento para apurar as circunstâncias do acidente e pedidos dois exames periciais, um deles de engenharia. Segundo a polícia, o vice presidente Unidos da Tijuca prestou declarações acompanhado de seu advogado e comprometeu-se em colaborar.

Um representante da empresa responsável pelo carro alegórico também foi ouvido. O carro alegórico foi aprendido e as possíveis causas do acidente serão investigadas.

Em dois dias, pelo menos 32 pessoas ficaram feridas. Antes do início dos desfiles de segunda-feira. O acidente mais grave aconteceu no primeiro dia, durante o desfile da Paraíso do Tuiuti, quando 20 pessoas foram imprensadas por uma alegoria desgovernada.

O carro bateu na grade do setor 1 no momento que fazia uma curva, e atingiu as pessoas que estavam no local. Três pessoas que se feriram continuam internadas. Elisabeth Ferreira Jofre, de 55 anos; e Maria de Lurdes Maura Ferreira, de 58 anos, estão no Hospital municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio. As duas saíram do setor de recuperação pós-cirúrgico e foram transferidas para o CTI da unidade. Elisabeth está em estado grave.

A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) emitiu uma nota para manifestar preocupação sobre os acidentes com carros alegóricos que aconteceram nos dois dias de desfile na Marquês de Sapucaí. A entidade afirmou que irá reunir representantes de todas as escolas de samba "para realizar os ajustes que se fizerem necessários", a fim de evitar que situações semelhantes se repitam nos próximos carnavais.

"A Liesa vem a público manifestar sua preocupação com os episódios ocorridos nos desfiles desse domingo e segunda-feira. Em 33 anos de existência do Sambódromo, inaugurado em 1984, houve poucas ocorrências dessa natureza envolvendo carros alegóricos e estamos aguardando a conclusão da perícia para esclarecer as causas, contando com todo o apoio institucional e operacional da Liga. A Liesa lamenta profundamente o ocorrido e informa que se reunirá com todas as agremiações para realizar os ajustes que se fizerem necessários, buscando sempre o aprimoramento do espetáculo".