Notícia

Espírito Santo, um Estado com muitos destinos para os visitantes

População capixaba redescobre as rotas e os encantos de sua terra, que vão do mar ao agroturismo, passando pela aventura

Conhecido pelas belas praias que todo ano atraem milhares de mineiros durante o verão, o Espírito Santo tem ganhado visibilidade também por outras rotas que revelam a riqueza de destinos e teve potencial turístico reforçado. Belezas que sempre figuraram em reportagens feitas pela Rede Gazeta. E o turista local resolveu explorar novos caminhos.

 Os capixabas estão redescobrindo o Estado. Montanhas e cachoeiras espalhadas por cada canto têm atraído o turismo interno, que recebeu investimento e cresceu nos últimos anos. Do carnaval de 2016 para o do ano passado, por exemplo, o índice da população que aproveitou o feriado por aqui passou de 57% para 67% do total de visitantes, segundo a Secretaria de Estado de Turismo (Setur).

05/07/2018 - Pedra Azul, em Domingos Martins
05/07/2018 - Pedra Azul, em Domingos Martins
Foto: Divulgação/Setur

 As regiões de Pedra Azul e Venda Nova receberam um investimento em torno de R$ 40 milhões da iniciativa privada em 2018 e entrou para circuito do turismo de luxo, segundo o secretário de Turismo do Estado, Paulo Renato Fonseca Junior. “Teve restaurante que aplicou R$ 1,2 milhão, uma cervejaria que vai abrir investiu R$ 4,5 milhões. Fora os que ainda vão vir até o fim do ano. Hoje, é chique ir para Pedra Azul.”

  Para se ter ideia do fortalecimento da rota, uma pesquisa da Setur apontou que 84% dos visitantes da região das montanhas em janeiro e fevereiro do ano passado eram capixabas.

Amanhecer em Marataízes, Sul do ES
Amanhecer em Marataízes, Sul do ES
Foto: Instagram | @fabricio_yee

ATRAÇÕES

Além de belas paisagens e restaurantes, os municípios de Venda Nova do Imigrante, Domingos Martins, Viana e Dores do Rio Preto são cenário de agroturismo. Casas de chá e café colonial, trilhas ecológicas e passeios a cavalo são algumas das atrações. O visitante tem contato com o campo, acesso a produtos caseiros e pode participar de colheitas.

Passando pela região, a Rota Imperial (criada na época do império para ligar Vitória à Ouro Preto, em Minas Gerais) revela ainda o valor histórico. Riqueza essa também encontrada em outros pontos do Estado, como em Anchieta, com o Santuário Nacional de São José de Anchieta, e em Vila Velha, endereço do Convento da Penha.

Igreja do Santuário Nacional de Anchieta
Igreja do Santuário Nacional de Anchieta
Foto: Dirceu de Souza Cetto

 A vice-presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens no Espírito Santo (Abav-ES), Lucília Soares, confirmou o crescimento da procura por esses roteiros. “A gente percebe que tem acontecido uma divulgação para turista local. A tendência, a meu ver, é que só aumente esse tipo de turismo interno. Isso porque quanto mais pessoas forem, mais falarão sobre a região.”

Domingos Martins ganhou espaço na lista dos aventureiros, como rafting e boia cross no Rio Jucu e cavalgada no Parque Estadual da Pedra Azul. Afonso Cláudio, Castelo e Pancas também são destaque, com o voo livre de parapente.

 Mas para quem gosta de curtir sol e mar, o Estado tem 410 quilômetros de praias que continuam atraindo os capixabas (e mineiros, claro). As 14 cidades banhadas pelo Atlântico têm dunas, áreas desertas, enseadas, águas mornas e cristalinas. “Mesmo em julho, a procura também aconteceu nas imediações de Guarapari, Nova Almeida, Jacaraípe, Itaúnas e Iriri”, contou o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Espírito Santo (Abih-ES), Gustavo Guimarães.

 AS ROTAS

 Agroturismo

Onde encontrar: ao todo, no Espírito Santo, há 31 circuitos que envolvem o agroturismo. Venda Nova do Imigrante, Domingos Martins, Serra, Viana e Dores do Rio Preto são destaques.

O que fazer: casas de chá e café colonial, trilhas ecológicas e passeios a cavalo. O visitante também pode participar de colheitas e presenciar o processamento dos produtos, revivendo a tradição dos imigrantes.

Distrito de Pedra Menina, em Dores do Rio Preto, na Região do Caparaó
Distrito de Pedra Menina, em Dores do Rio Preto, na Região do Caparaó
Foto: Laila Magesk

Aventura

Onde encontrar: Afonso Cláudio, Castelo, Pancas, Domingos Martins, Cachoeiro de Itapemirim e Guarapari oferecem cachoeiras, montanhas, rios e temperatura amena que facilitam a prática de esportes radicais.

O que fazer: voo livre, mergulho, rafting, montanhismo, kitesurf, cavalgada e trilha.

Ecoturismo

Onde encontrar: Parque Nacional do Caparaó, que abriga o Pico da Bandeira; Parque Estadual de Pedra Azul, em Domingos Martins; Parque Estadual de Itaúnas e praia do Riacho Doce, em Conceição da Barra; Monte Aghá, em Itapemirim; Parque da Fonte Grande, em Vitória; Morro do Moreno, em Vila Velha.

O que fazer: As opções variam do mar à montanha, das águas turvas dos manguezais às cristalinas das lagoas e de serras antigas cobertas por matas inexploradas a pontões rochosos.

Sol e praia

Onde encontrar: Na Região Metropolitana tem Guarapari, Curva da Jurema, Camburi, Praia da Costa, Itapoã, Coqueiral de Itaparica, Jacaraípe e Manguinhos. No Sul, Piúma, Anchieta, Marataízes e Itapemirim. Ao Norte, destaque para Regência e Pontal do Ipiranga (Linhares); Coqueiral e Barra do Sahy (Aracruz); Itaúnas e Riacho Doce (Conceição da Barra); e Guriri (São Mateus).

Dunas de Itaúnas
Dunas de Itaúnas
Foto: Sullivan Silva

O que fazer: as cidades possuem praias diversificadas, algumas com dunas, outras desertas, com enseadas, com águas mornas e cristalinas, além daquelas com areia monazítica, usada para fins medicinais.

Ver comentários