Notícia

21 anos de agonia: a crítica trajetória dos capixabas na Copa do Brasil

Times capixabas já enfrentaram adversários de quase todos os estados brasileiros na Copa do Brasil, retrospecto é muito ruim

A melhor campanha de um time capixaba na Copa do Brasil está prestes a completar 21 anos. O Linhares Esporte Clube, que não é o mesmo que disputa o Capixabão atual, derrotou o Fluminense na primeira fase da competição em 1994, e seguiu vivo na disputa até ser eliminado nas semifinais pelo Ceará. De lá pra cá, nenhum time capixaba fez campanha melhor. 

 

Nesta quarta, o Estrela recebe o Sampaio Correa, na esperança de dar o primeiro passo para quebrar o jejum. Desde que a competição foi criada em 1989, os times capixabas já jogaram contra quase todos os estados brasileiro. Na maioria das vezes, o resultado foi negativo. São 85 jogos, 10 vitórias, 23 empates, 52 derrotas, 74 gols a favor e 186 gols sofridos. Ano a ano, veja a trajetória do futebol capixaba na competição nacional. 

 

Linhares eliminou em Fluminense em 1994: melhor campanha de um time capixaba na Copa do Brasil
Linhares eliminou em Fluminense em 1994: melhor campanha de um time capixaba na Copa do Brasil
Foto: Gildo Loyola / Arquivo

 

1989

Era o primeiro ano da Copa do Brasil, competição criada para dar aos clubes menores a chances de enfrentar os times mais populares do país. O representante do Espírito Santo naquele ano era o Ibiraçu, time que hoje já não existe mais. A primeira partida de um time capixaba na competição aconteceu no dia 19 de julho, contra o Grêmio, e foi disputada no estádio Engenheiro Araripe. O Ibiraçu perdeu por 1 a 0 (gol do lateral gremista Alfinete). Na partida de volta, no estádio Olímpico, uma goleada: 6 a 0 (gols de Cuca, Alfinete, Paulo Egídio (2), Adilson Heleno e Kita). O Grêmio foi campeão naquele ano. 

 

 

1990

No ano seguinte, foi a vez da Desportiva representar o Espírito Santo na competição pela primeira vez. O time Grená encarou o Botafogo, e na partida de ida, em casa, conseguiu um empate em 1 a 1 (Chiquinho marcou para a Desportiva e Paulo Roberto para o Botafogo). No jogo de volta, no estádio Caio Martins, a Tiva abriu o placar ainda no primeiro tempo, mas acabou levando a virada. Fim do sonho: 2 a 1 para o Botafogo (Djair e Wilson Gottardo, do Botafogo, e Carlinhos Mineiro, pela Desportiva). 

 

1991

Para colocar o Estado na segunda fase da Copa do Brasil, o Colatina precisa primeiro derrotar o Santa Cruz, de Pernambuco. Mas já na primeira partida, em casa, no estádio Justiniano de Melo Silva, saiu de campo derrotado por 3 a 2. No jogo de volta, no Arruda, a vitória do Santa por 1 a 0 tirou os capixabas da competição mais uma vez.

 

 

1992

Atualmente, o Muniz Freire não disputa nem mesmo o Capixabão, mas em 92 ele era o representante capixaba na Copa do Brasil. O adversário era o Internacional, e a experiência não foi positiva. No jogo de ia, em casa, no estádio Mario Monteiro, derrota por 3 a 1 (Zé Gatinha, para o Muniz Freire, e por Marquinhos (2) e Gérson, para o Inter). Na volta, no Beira Rio, uma amarga goleada: 5 a 0, com direito a quatro gols só no primeiro tempo (Elson, Zinho, Gérson (2) e Rudinei).

 

 

 

 

1993

Pela segunda vez, a Desportiva tinha a chance de fazer história na copa do Brasil. Mais uma vez, fracassou. Na primeira partida, no Araripe, apenas um empate em 1 a 1 contra o Cruzeiro (Washington marcou para Tiva e Cleison para o Cruzeiro). No jogo de volta, fora de casa, um massacre do time Celeste: 5 a 0 (Cleison (2), Éder Aleixo e Nivaldo (2)).  

 

 

 

1994

Cinco anos depois da criação da competição, o Espírito Santo finalmente conseguiu passar da primeira fase na Copa do Brasil. O autor do feito: Linhares. Na primeira fase, dois empates com o Fluminense, e classificação garantida graças aos gols feitos fora de casa. Na sequência, o time capixaba deixou para trás o São José-AP, e o Comercial-MS. O time chegou as semifinais da competição, quando foi eliminado pelo Ceará. Essa é a melhor campanha de um time capixaba na Copa do Brasil, marca até hoje não superada!

 

Linhares e Ceará na semifinal da Copa do Brasil de 1994
Linhares e Ceará na semifinal da Copa do Brasil de 1994
Foto: Chico Guedes/Arquivo/A Gazeta

 

Linhares X Fluminense

Jogo de ida, nas Laranjeiras: 2 a 2 (Wallace e Mário Tilico pelo Flu, Arildo e Rocha pelo Linhares)

Jogo de volta, no Araripe: 1 a 1 (Arildo para o Linhares e Luiz Henrique pro Flu)

 

 

Linhares X São José-PA

Jogo de ida, estádio Guilherme Augusto de Carvalho: 0 a 0

Jogo de volta, no Zerão: 3 a 2 para o time capixaba (Varela (2) para o São José-, e China, Arildo e Rocha para o Linhares) 

 

Linhares x Comercial-MS

Jogo de ida, em casa, estádio Guilherme Augusto de Carvalho: 1 a 0 para o Linhares (Vandick marcou para o time capixaba)

Jogo de volta, estádio no Morenão: 1 a 1 (Neilor fez para oComercial e Gersinho para o Linhares)

 

Linhares x Ceará

Jogo de ida, fora de casa, estádio Castelão: 0 a 0

Jogo de volta, estádio Engenheiro Araripe: bastava vencer e seguir vivo na competição, mas um atacante Sérgio Alves, ainda no primeiro tempo, colocou fim ao sonho: 1 a 0 para o ceará.

 

 

1995

O feito do Linhares deveria ter servido de motivação para que o representante capixaba buscasse uma campanha ainda melhor na competição do ano seguinte, mas não foi o que aconteceu. Começava ali, uma agonia que duraria mais de duas décadas. De novo, a chance era da Desportiva, dessa vez tendo o Grêmio como primeiro adversário. Já no jogo de ida, uma derrota em casa por 1 a 0 (Jardel marcou o gol da vitória gremista). Na volta, no estádio Olímpico, mais um revés: 2 a 1 (Paulo Nunes e Magno para o Grêmio, e Ricardo para a Tiva).

 

1996

Depois de eliminar o Fluminense em 94, o Linhares (na época ainda Esporte Clube) ganhava mais uma chance. Dessa vez, era preciso tirar o Flamengo do caminho. O jogo de ida foi no estádio Kleber Andrade, e o time capixaba saiu de campo derrotado: 1 a 0 (Jorge Luiz marcou o gol do jogo). A volta foi no estádio Mané Garrincha, e de novo deu Flamengo. O time, que na época era comandado por Joel Santana e tinha o capixaba Sávio no elenco, bateu o Linhares por 4 a 1 (Gilberto, Sávio (2) e Amoroso, pelo Flamengo, e Glaédson, do Linhares).

 

 

1997

Pela fase preliminar da Copa do Brasil, a Desportiva precisa vencer o Santos. No jogo de ida, no Araripe, apenas um empate: 1 a 1 (Léo marcou para a Desportiva  e Caíco para o Santos). Na volta, no Palestra Itália, um massacre santista: 5 a 1 (Marcos Assunção, Robert (2) e Ronaldão (2), para o Santos, e por Léo para Tiva).

 

 

1998

No revezamento entre Linhares e Desportiva, era a vez do time do Norte tentar de novo. Pela fase preliminar, o time capixaba eliminou o América, do Rio Grande do Norte, mas depois acabou eliminado pelo Grêmio.  

 

Linhares x América-RN

Jogo de ida, estádio Guilherme Augusto de Carvalho: 0 a 0

Jogo de volta, no no Machadão: 1 a 1 (Márcio, do América, e Betinho, do Linhares, marcaram)

 

Linhares X Grêmio

Jogo de ida, estádio Guilherme Augusto de Carvalho: 0 a 0

Jogo de volta, estádio Olímpico: 2 a 0 para o Grêmio (gols de Beto e Guilherme Alves). O Linhares teve dois jogadores expulsos naquele jogo: Rogério Tatú e Pinheiro  

 

1999

Pela primeira vez, o Estado tinha dois representantes da competição: Linhares e Rio Branco. O time do norte, no entanto, acabou eliminado na primeira partida, depois de sofrer uma derrota por 3 a 0 para o Atlético-MG, em casa (3 gols de Marques). 

 

O Rio Branco tinha a sua primeira oportunidade na competição nacional, e jogando no Kleber Andrade, empatou em 1 a 1 com a Portuguesa (Lala pros capixabas e e Leandro Amaral pra Lusa), na primeira partida. No jogo de volta, no Canindé, o time paulista, comandado pelo técnico Zagallo, goleou: 4 a 0 (Marcelo Miguel (2), César e Alexandre marcaram).

 

2000

Serra e Rio Branco eram os representantes capixabas daquele ano. O Serra foi eliminado logo na primeira partida, no Engenheiro Araripe, depois de amargar 3 a 0 contra o Santos (Dodô e Deivid (2)). 

 

 

Já o Capa Preta, tinha pela frente o Botafogo. No jogo de ida, no Kleber Andrade, um empate em 1 a 1 (Jean Carlos para o Rio Branco, e Zé Carlos para o Botafogo). Na volta, no estádio Caio Martins, goleada carioca: 5 a 0 (gols de Sérgio Manoel, Zé Carlos (2) e Rodrigo (2)).

 

 

 

2001

O Fluminense estava mais uma vez no caminho dos capixabas, e cabia ao Cachoeiro eliminar os cariocas. Já na primeira partida, no Araripe, uma derrota por 1 a 0 (Régis marcou para o Flu). O jogo de volta foi no templo sagrado do futebol brasileiro, o Maracanã. De novo deu Fluminense: 2 a 1 (Agnaldo (2) para o Flu, e André Biquinho para o Cachoeiro).

 

A Desportiva também tentou a sorte naquele ano. Contra o Coritiba, mais duas derrotas. No jogo de ida, em casa, os Grenás perderam por 3 a 2 ( Mozart e Felipe, pela Tiva, e Picolli, Mabília e Marquinhos Cambalhota, do Coxa). Na volta, no estádio Couto Pereira, vitória dos donos da casa: 3 a 0 (Enílton (2) e Marquinhos Cambalhota marcaram).

 

 

2002

O Alegrense, time que hoje já não disputa competições oficiais, era o representante capixaba naquele ano. O adversário: Botafogo, do técnico Abel Braga. No jogo de ida, no Araripe, um empate em 2 a 2 (Josimar (2) pelo Alegrense, e Dodô e Cicinho, pelo Botafogo). No jogo de volta, no Rio, um empate sem gols eliminou os capixabas. O time foi eliminado mesmo sem ter perdido um jogo sequer, dando adeus a Copa do Brasil pelo critérios de gols marcados na casa do adversário.

 

2003

O Alegrense teve mais uma chance no ano seguinte. O adversário da vez era o Criciúma, e no jogo de ida, no estádio Mário Monteiro, em Cachoeiro de Itapemirim, a primeira derrota: 3 a 2 (Luiz Cláudio e Cleiton, para o Alegrense, e por Alonso e Dejair (2), para o Criciúma). No jogo de volta, no no Heriberto Hülse, uma goleada: 5 a 1 (Paulo Baier, Delmer (2), Cametá e Tico, para o Criciúma; Carlos descontou para os capixabas)

 

O Rio Branco também defendeu o Estado naquele ano, mas acabou eliminado pelo Cruzeiro já no primeiro jogo, em casa, no estádio Mario Monteiro: 4 a 2 (Erich e Jaílson, para o Rio Branco, e Alex, Marcelo Batatais, Maurinho e Nem (contra), para o Cruzeiro). 

 

2004

Já haviam se passado 10 anos desde a melhor campanha de um time capixaba na competição.  E o Serra foi mais uma vez eliminado na primeira partida, ao ser derrotado pelo América-MG, no Robertão, por 4 a 1 (Rigoberto, do Serra; Wagner, Fred, Reinaldo e Emerson, pelo América-MG).

 

O CTE - Colatina fazia a sua primeira participação na Copa do Brasil contra o Vitória, da Bahia. Jogando no estádio Justiniano Silva, pela partida de ida, derrota por 2 a 1 (Tasa pelo CTE; Obina e Vinicius, no Vitória). No jogo de volta, no Barradão, capixabas goleados: 4 a 0 (Obina (2), Gilmar e Cleber Santana).

 

2005

Serra e Estrela eram os representantes daquele ano.  Contra o Brasiliense, o Serra segurou um empate em 2 a 2 (Faioli e Betinho, pelo Serra; Igor e Pituca, pelo Brasiliense) no jogo de ida, no Robertão. Na volta, derrota por 4 a 2 (Iranildo, Wellington Dias e Robston (2), pelo Brasiliense; Índio e Thiago Rodrigues, do Serra).

 

 

O Estrela do Norte tinha a sua primeira chance na competição, contra o Atlético-MG. No jogo de ida, no estádio no Mário Monteiro, vitória do Galo por 4 a 3 (Marcelo Pelé (2) e Roubert, para o Estrela; Euller, Rodrigo Fabri (2) e Quirino, para o Atlético). Na volta, um goleada catastrófica dos mineiros: 6 a 0 (Euller (2), Fábio Júnior (2), Renato e Rodrigo Fabri marcaram). Essa é a maior goleada sofrida por time capixaba na competição, fato que já havia acontecido com o Ibiraçu em 1989. 

 

 

2006

A dobradinha capixaba de 2005 se repetiu um ano depois, mas Serra e Estrela não se deram bem. A equipe Cobra Coral caiu na primeira partida, eliminada pelo Ipatinga: 3 a 1 (Andrezinho, do Serra; Enrico, William e Diego Silva, para os mineiros).  

 

No Sumaré, o Estrela empatou em 1 a 1 com o Guarani (Arpini para os capixabas e Sandro Barbosa pro Guarani). No jogo de volta, derrota por 3 a 0 (Juca, Elvis e Adeílson). O time capixaba ainda teve Kanu  expulso. 

 

2007

A crise se agravava, e o Espírito Santo seria representado por dois novatos na competição: Vitória e Vilavelhense disputariam a Copa do Brasil pela primeira vez. Os dois times venceram em casa por 1 a 0. Depois, fizeram gol fora de casa e tiveram a vaga na mão até os minutos finais, mas acabaram eliminados.

 

O confronto do Vitória foi contra o Ipatinga. No Salvador Costa, na primeira partida, vitória Alvianil com gol de Zé Afonso. O triunfo do Vitória pôs fima um jejum de 13 anos, sem que um time capixaba vencesse um jogo na Copa do Brasil. Na volta, fora de casa, derrota por 3 a 1 (Beto e Ferreira (2), para o Ipatinga; Zé Afonso, para o Vitória).

 

 

Contra o Treze, da Paraíba, o Vilavelhense repetiu a mesma história. Vitória no Engenheiro Araripe com gol de Kanu. E na volta, derrota por 3 a 1 (Emerson (2) e Nenzão (contra), pelo Treze; Mineiro, do Vilavelhense). O time da Paraíba ainda atuou parte do jogo com um a menos, já que o meia Ricardo Miranda foi expulso.

 

2008

De novo O Linhares, que em 94 tinha garantindo ao futebol capixaba a sua melhor colocação no Capixabão. O adversário da vez era o Juventude. Nas duas partidas contra o time de Caxias do Sul, empate em 0 a 0. Na partida de volta, fora de casa, a classificação foi decidida nos pênaltis: 5 a 4 para o Juventude.

 

O Jaguaré também jogou a competição daquele ano. Contra o River, do Piauí, vitória por 3 a 2 (Ronicley e Moisés (2), pelo Jaguaré; Jorginho e Curiri, do River), no jogo de ida, no estádio Conilon. Na partida de volta, derrota por 2 a 0 (Maurício Pantera e Curiri fizeram para o time do Piauí).

 

 

2009

Desportiva e Serra, dois já conhecidos na Copa do Brasil tentavam a sorte mais uma vez. Contra o Fortaleza, a Desportiva empatou em 1 a 1 (Rafael Paraná, para a Desportiva Ferroviária; Gilmak, para o Fortaleza) no Araripe. No jogo de volta, derrota por 3 a 0 (Marcelo Nicácio marcou três vezes).

 

O Serra perdeu em casa para o CSA, por 3 a 2 (Rigoberto e Matheus, do Serra; Camilo e Tiago (2), pelo CSA), mesmo com adversário jogando parte do jogo com um a menos. Na volta, mais uam derrota, dessa vez por 3 a 1 (Camilo, Tiago e Fagner, no CSA; Regílson, no Serra) 

 

 

2010

Era a primeira participação do São mateus na competição. Contra o Remo-PA, derrota no jogo de ida em casa, por 2 a 1. E mais uma derrota na partida de volta, por 4 a 1.

 

Outro representante do ES na competição, o Vitória foi eliminado já primeira partida, no estádio Salvador Costa, ao ser derrotado pelo Bahia por 2 a 0. 

 

2011

Mais uma vez, o Vitória deu adeus a competição ainda na primeira partida. Jogando no Salvador Costa, o time capixaba foi goleado pelo Goiás por 4 a 1 (Hércules para o Vitória; Hugo, Rafael Tolói e Marcelo Costa (2) para o Goiás).

 

Outro representante capixaba, o Rio Branco foi derrota no jogo de ida por 1 a 0 (gol de Léo Medeiros) pelo Ipatinga. Na decisão em Minas Gerais, o time capixaba saiu derrotado por 3 a 0 (Luizinho, Chiquinho e Alessandro).

 

2012

O São Mateus ganhava a sua segunda chance, desta vez contra a Chapecoense. Na primeira partida, disputada no estádio Justiniano de Mello e Silva, em Colatina, o Pit-Bull venceu por 2 a 1 (Marcelo Pelé e Bruno Alemão marcaram pro Sama; João Paulo marcou pro time de Chapecó). O time capixaba podia até empatar no jogo de volta, que ficava com a vaga. Mas não foi o que aconteceu. O São Mateus acabou derrotado por 3 a 1 (Souza (2) e Leandrinho para Chapecoense; Marcelo Pelé pro time capixaba) na segunda partida, e acabou fora da competição.  

 

Já o Real Noroeste disputava a Copa do Brasil pela primeira vez. A esperança durou pouco. Contra o Ipatinga, o time foi derrotado em casa por 2 a 0 (gols de Moisés e Kaká) e acabou eliminado. 

 

2013

O jejum crescia. A Desportiva, time que mais defendeu o Estado na Copa do Brasil, ia para a sua 7ª participação na competição.  Na fase preliminar, a Tiva eliminou o Atlético, do Acre, mas na sequência acabou eliminada pelo Figueirense.

 

Desportiva x Atlético-AC

Jogo de ida, Arena da Floresta: 1 a 1 (Léo Oliveira para Tiva; Nuna para o time do Acre)

Jogo de volta, Engenheiro Araripe: de virada, Tiva venceu por 5 a 4 (David Dener, Flávio Santos, Carlos Vitor (2) e Léo Oliveira, para a Desportiva; Alcione, Gessé, Jefferson e Lelão, para o Atlético-AC)

 

Desportiva X Figueirense

Jogo de ida, Engenheiro Araripe: time Grená abre o placar, mas leva a virada no segundo tempo, sai de campo derrotado por 4 a 1 (Flávio santos para Tiva; Maylson, Thiego, Douglas Silva e Botti para o Figueira) e está fora da competição. 

 

2013 também marcou a estreia de mais um time capixaba na Copa do Brasil: o Aracruz. Na partida de ida, em casa, no estádio do Bambu, o time capixaba empatou com o Joinville em 1 a 1 (Regilson marcou pro time capixaba, e Marcelo Costa para o rival). Na volta, um gol de pênalti, cobrado por Marcelo Costa, deu a classificação ao Joinville e eliminou o Dragão do Norte: 1 a 0 

 

2014

A boa campanha do Linhares na competição completava duas décadas, e nada do feito ser superado. Pela Pré-Copa do Brasil, o Real Noroeste empatou em 1 a 1 (Thiago para o time do Acre e Robert para o Real) com o Rio Branco, do Acre, na partida de ida, em casa.   No jogo de volta, o time capixaba se segurou o quanto pode, mas acabou levando um gol aos 44 do segundo tempo (Adriano Louzada marcou) e sendo eliminado.

 

Em sua 8ª participação na Copa do Brasil, a Desportiva enfrentou o ABC. No jogo de ida, no Araripe, o lateral-esquerdo Tatá fez o gol que garantiu a vitória da Tiva. Para o jogo de volta, o time capixaba podia até empatar, mas acabou derrotado por 4 a 1 (Beto , Somália , Daniel Paulista (2) para o ABC; Bombom para a Desportiva)

 

Desportiva vence o ABC por 1 a 0 na Copa do Brasil
Desportiva vence o ABC por 1 a 0 na Copa do Brasil
Foto: Bernardo Coutinho

 

2015

Mais uma vez, o Atlético-AC era o adversário de uma equipe capixaba na Pré-Copa do Brasil. O Real Noroeste, no entanto, não se intimidou e venceu, fora de casa, na Arena da Floresta por 1 a 0 ( gol de Morotó). A vitória colocou fim a uma marca que já durava quase 21 anos: desde 1994 um time capixaba não vencia fora de casa na competição, a última vez foi um triunfo do Linhares sobre o São José-AP.

 

No jogo de volta, no Estádio José Olímpio da Rocha, em Águia Branca, Stênio Garcia fez três garantiu a classificação do time c

apixaba,  que agora vai enfrentar o Criciúma.

 

Nesta quarta, o Estrela enfrenta Sampaio Corrêa em busca de um resultado positivo, para quem sabe quebrar a escrita ruim do futebol capixaba na competição.

 

No duelo contra o País, muitas derrotas

 

Com o duelo entre Estrela e Sampaio Corrêa, do Maranhão, restam seis estados contra os quais os times do Espírito Santo não jogaram na Copa do Brasil: Amazonas, Mato Grosso, Rondônia, Roraima, Sergipe e Tocantins; veja o mapa.

 

Mapa mostra contra quais estados brasileiros o ES já jogou
Mapa mostra contra quais estados brasileiros o ES já jogou
Foto: Arte/Genildo

 

Ver comentários