Notícia

Inquérito é aberto para investigar morte de ginasta de 17 anos

Medida foi tomada após pai de Jackelyne Silva registrar um boletim de ocorrência. Testemunhas foram convocadas para prestar depoimento

Um inquérito foi aberto pela Polícia Civil para investigar a morte da ginasta Jackelyne Silva, de 17 anos, que faleceu na última quarta-feira (16). A medida foi tomada após o pai da atleta registrar um boletim de ocorrência.

No documento registrado pela Polícia, Marcos Silva relata que no último sábado (12), a Jackelyne sofreu uma queda, e reclamou de dores no peito e na lombar. O pai também informou que a adolescente passou por dois atendimentos médicos antes de sofrer uma parada cardiorrespiratória na quarta-feira e morrer.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo divulgou uma nota, publicada pelo site UOL, informando que testemunhas foram convocadas para depoimento.

"Familiares e funcionários da unidade de saúde foram convocados para prestarem depoimento e a autoridade policial aguarda a conclusão dos laudos periciais", esclarece a nota. O texto emitido pelo SSP-SP ainda lamentou a morte da ginasta, e explicou quais serão os procedimentos a partir de agora.

"A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) lamenta a morte da atleta e informa que os hospitais, prontos-socorros e Unidades de Pronto Atendimento (UPA) possuem uma Comissão de Verificação de Óbitos. Dessa forma, sempre que ocorre um óbito é feita a reavaliação dos prontuários de atendimento do paciente. Caso seja levantada alguma dúvida, o caso é enviado para apuração da Comissão de Ética Médica das unidades. A pasta esclarece que irá colaborar com as investigações’.

Jackelyne da Silva morreu na UPA 26 de agosto , na zona leste de São Paulo. Segundo apuração do site "Olimpíada Todo Dia", a atleta teve duas convulsões e sofreu com taquicardia, não resistindo posteriormente.

A ginasta do Pinheiros, e que teve passagens pelas Seleções Brasileira de base, foi enterrada nessa sexta-feira, no Cemitério da Vila Formosa, em São Paulo.