Notícia

Léo Meindl compreende vaias no Jogo das Estrelas: 'Nem Jesus Cristo agradou a todo mundo'

Atualmente no Paulistano, ala entende que os torcedores de Franca o vaiaram no fim de semana festivo do NBB porque ainda não aceitaram sua saída da equipe

No começo da temporada, uma das transferências mais polêmicas foi a de Léo Meindl, que trocou o Franca pelo Paulistano. Neste sábado, o ala retornou ao Ginásio Pedrocão, em Franca, para participar do Jogo das Estrelas do NBB. Por conta do seu passado, ele foi vaiado em grande parte do duelo, mas afirma que isso não atrapalha seu desempenho em quadra.

- É uma coisa que eu falo: o amor e o ódio andam lado a lado. Tem muitas pessoas que não aceitam a minha saída daqui, eu sou profissional, tento fazer meu melhor onde quer que eu esteja.. Enfim, nem Jesus Cristo agradou a todo mundo e não serei eu que vou conseguir isso. Isso vai existir no basquete, é normal. Me sinto bem, fico feliz de estar aqui, ninguém vaia quem não tá bem. O mais importante é a festa, fiquei feliz de ter jogado na minha cidade ao lado de amigos - afirmou.

Ainda sobre o assunto referente à torcida no Ginásio Pedrocão, o atleta do Paulistano afirmou que prefere jogar sob vaias do que sendo aplaudido. Por outro lado, ele reconheceu que tudo isso faz parte e que o importante era o clima festivo do evento.

- Cada pessoa leva para um lado. Eu prefiro até jogar com vaia do que com incentivo, mas o evento sobressaiu tudo, a festa foi grande e essas coisas acontecem - confessou.

Léo Meindl chegou a liderar a equipe do NBB Brasil em pontos, assistências e rebotes ao mesmo tempo, mas deixou a quadra na metade do último período e não voltou mais. Nesse período, o ala viu Jefferson se sobressair e garantir o prêmio de melhor jogador, mas reconhece o merecimento do companheiro.

- É um prêmio individual, todo mundo queria ter ganho, mas é algo dificílimo, o Jefferson fez uma ótima partida também e mereceu. É isso, o basquete é assim - finalizou.