Notícia

Diniz trata Igor Gomes como 12º titular: 'Tê-lo no banco dá segurança'

Técnico do São Paulo diz que cogitou escalar o camisa 26 contra o Avaí, mas optou por deixá-lo na reserva, entre outras fatores, por confiar que teria um jogador entrando bem

Igor Gomes não inicia uma partida como titular do São Paulo desde 22 de maio, mas Fernando Diniz tem repetido que não o considera um reserva. Após a vitória por 1 a 0 sobre o Avaí, no domingo, o técnico disse que a boa fase do jovem de 20 anos lhe dá confiança para utilizá-lo como uma peça capaz de entrar e mudar as partidas.

- O Igor tem sido constantemente uma opção para mim. E também tê-lo no banco para poder entrar é uma coisa que dá segurança, por que ele vive um momento muito bom. A gente foi testando as formações durante a semana. Para você botar o Igor, tem que tirar mais alguém. Eu achei que nesse momento o melhor time para o São Paulo, por tudo que tinha acontecido desde a minha chegada, era esse que iniciou - declarou Diniz.

TABELA
> Clique aqui e veja a classificação e o simulador do Brasileiro

Igor Gomes foi acionado no segundo tempo dos últimos cinco jogos. Com Diniz, que soma seis partidas à frente do São Paulo, só não foi utilizado no empate sem gols com o Flamengo. Diante do Avaí, o garoto substituiu o zagueiro Bruno Alves no intervalo e foi fundamental para que a equipe conseguisse incomodar a defesa do adversário, o que não estava acontecendo mesmo após a expulsão de Brenner aos 22 minutos do primeiro tempo.

- O Igor está crescendo cada vez mais. Não considero um reserva, é um dos titulares que a gente tem. Era uma das opções para começar o jogo. Não iniciou, mas entrou e mais uma vez entrou bem. Assim ele vai ganhando cada vez mais espaço - emendou Diniz.

Enquanto isso, Igor Gomes trabalha e espera. Ele admite que está ansioso para ser titular novamente, ainda mais vendo a torcida clamar pela sua entrada frequentemente, mas prega paciência.

- Eu fico muito feliz, é bem gratificante ver o pessoal reconhecendo meu trabalho, venho trabalhando forte para isso dia a dia. Se eu entrar um, cinco, 45 ou 90 minutos vou dar meu melhor. Sempre tento mudar o jogo ou, se já estiver bom, melhorar mais ainda. Esse é o papel de quem está no banco. Hoje estou no banco e acredito que venho dando bons resultados.

- Eu sempre me vejo como titular, tenho que me ver. Sou atleta, e o atleta quer sempre jogar. Mas estou muito tranquilo, o professor Diniz passa confiança para mim, ele sabe o melhor momento para mim. Quando ele achar melhor me colocar como titular ele vai colocar e vou tentar corresponder da melhor maneira possível.

Diniz montou o meio de campo contra o Avaí com Luan mais recuado e Liziero e Tchê Tchê armando. Para a partida do próximo domingo, contra o Atlético-MG, novamente no Morumbi, o técnico não terá Luan à disposição devido ao terceiro cartão amarelo. O mesmo vale para Daniel Alves, que jogou na lateral direita, mas também é opção no meio. Com isso, a tendência é que Tchê Tchê e Liziero ganhem a companhia de mais um armador: Hernanes ou Igor Gomes?

- Eu quero sempre ser titular. Mas não fico pensando muito nisso, não trás conforto para a gente, então deixo as coisas acontecerem naturalmente. Lógico que quero começar jogando sempre, mas quando ele achar que é o momento, vou tentar ajudar da melhor maneira. Estou feliz. Satisfeito, nunca. Eu sempre busco evolução, sempre tem alguma coisa a melhorar. Estou feliz por entrar nos jogos, ter chances, mas não acomodado. Quero melhorar mais ainda - concluiu Igor.