Notícia

Dilma pede 'encarecidamente' aprovação da CPMF

Ela pediu "encarecidamente" que os conselheiros reflitam sobre a "excepcionalidade" do período pelo qual passa o país

BRASÍLIA. Ao discursar no fim da reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, a presidente Dilma Rousseff afirmou que as diferenças de opinião têm que ser respeitadas e que, com auxílio do colegiado, buscará convergência de ideias para fazer o país superar a crise política e econômica.

''Aqui nesse espaço a política é a busca do melhor para o país, e o partido de todos nós é o Brasil'', afirmou.

Dilma disse que é fundamental a construção de uma "ponte" entre a estabilidade fiscal de longo prazo e o equilíbrio fiscal no médio e longo prazo. Isso serviria, segundo a petista, para dar "perenidade" ao equilíbrio das contas públicas. Para Dilma, a "ponte" depende da aprovação, no Congresso Nacional, de medidas como a aprovação da DRU, e da recriação da CPMF. Ela pediu "encarecidamente" que os conselheiros reflitam sobre a "excepcionalidade" do período pelo qual passa o país, e afirmou que a recriação do imposto será "rigorosamente temporário", mas é a medida mais efetiva para tal momento.

''Peço encarecidamente que reflitam sobre a excepcionalidade do momento, que tornam a CPMF a melhor solução disponível, pelo baixo custo, por não ser tão regressiva, e melhor ainda por permitir mais efetivo controle das onerações, melhor por ser rigorosamente temporária. Mesmo assim, estou inteiramente aberta para conhecer eventuais opções, se houver alternativa tão eficiente quanto a CPMF para ampliar no curto praxo a receita fiscal. Eu e meus ministros estamos absolutamente abertos ao diálogo'', afirmou Dilma.

Ver comentários