Notícia

Moradores de Guarapari recorrem a poço, balde e caminhão-pipa

Em Guarapari, a falta d?água continua mesmo com menor número de turistas

O número de turistas diminuiu na reta final de janeiro, mas a população de Guarapari ainda sofre os efeitos da falta de água, tradicionalmente associada ao número maior de pessoas no verão, mas neste ano reforçada pela estiagem que atinge todo o Espírito Santo.



Moradores armazenam água durante a madrugada: Nancy é uma das moradoras que guardam água durante a noite, único período em que eles dizem cair o líquido neste período.
Moradores armazenam água durante a madrugada: Nancy é uma das moradoras que guardam água durante a noite, único período em que eles dizem cair o líquido neste período.
Foto: Fernando Madeira - GZ

A reclamação vem principalmente de moradores de bairros localizados em partes mais altas da cidade. É o caso da cozinheira Nancy Conceição Pereira, 45 anos, que mora em São João. Ela e o marido aproveitam as madrugadas, quando a água cai, para encher todos os recipientes possíveis dentro de casa.



“Isso é desde o dia 2 de janeiro. Não conseguia fazer nada dentro de casa. Moro aqui há 15 anos e nunca faltou água”, lamenta a cozinheira.



A comerciante Maklane Pinheiro, 24 anos, moradora do bairro Ipiranga, também tem que armazenar água durante a noite. “Todo ano é assim, mas este ano está demais”, lamenta.



O problema também atinge residências, prédios e comércios na Praia do Morro. “Este mês já pedimos cinco caminhões-pipa, três pagos pelo condomínio e dois dados pela Cesan”, relata Agdo Waldemar Martins, 66 anos, zelador de um prédio no bairro.



Precaução


Precavida, a comerciante Cláudia da Silva Bastos, 59 anos, conta que a lanchonete administrada por ela conta com poço artesiano para atender principalmente as necessidade de limpeza do estabelecimento. “O que salva é o poço artesiano. Mas tem que conscientizar o povo de que o lençol freático pode acabar também”, alerta Cláudia.

 

Precaução com reserva de água em poço artesiano: a administradora de uma lanchonete na Praia do Morro diz que o local conta com poço artesiano para lidar com a falta de água
Precaução com reserva de água em poço artesiano: a administradora de uma lanchonete na Praia do Morro diz que o local conta com poço artesiano para lidar com a falta de água
Foto: Fernando Madeira - GZ

A Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan) informou que a situação de abastecimento de água em Guarapari não sofreu alteração. Por nota, esclareceu que o nível dos Rios Conceição, Jaboti e Benevente está tão baixo que não permite a captação normal de água.


“A Companhia se solidariza com a população e destaca que não realizou nenhum procedimento para reduzir a pressão e que equipes estão em plantão permanente, realizando procedimentos operacionais para atender aos usuários”, diz o trecho da nota.

A Cesan mantém ainda 13 carros-pipa para atender às demandas registradas no sistema pelo número 115, que é gratuito e funciona 24 horas por dia.

 

Cesan vai reforçar o município durante o carnaval

 

O abastecimento de água na cidade de Guarapari irá contar com um reforço de carros-pipa durante o feriado de Carnaval, para tentar diminuir os transtornos para os moradores e turistas.


Essa garantia foi dada nesta quinta (29) pelo governador Paulo Hartung, em reunião com o prefeito do município, Orly Gomes. Atualmente 12 carros-pipa auxiliam o abastecimento nos bairros mais altos da cidade. Apesar disso, o prefeito admite que é “impossível” não faltar água na cidade durante o carnaval.

Segundo Orly Gomes, o governador colocou a Cesan à disposição para ajudar e auxiliar no que for preciso, e ainda não há regime de racionamento na cidade. Ainda será feita uma análise para definir quantos carros-pipa serão necessários, e para quais locais serão levados.

“No período de carnaval, nós vamos ter na cidade em torno de 300 mil pessoas, baseado em um estudo que fizemos em dezembro. Esse número de pessoas vai demandar um consumo de água que com certeza, com essa situação que nós estamos hoje, não vamos ter como atender. As pessoas que lá estiverem vão ter certeza e conhecimento de que vão ter esse problema de água. E nós estamos tentando minimizá-lo com o aumento de carros pipas para atender nessa temporada”, explicou à Rádio CBN Vitória.


De acordo com o prefeito, o governador também afirmou que serão mapeados os rios que têm nascente no território de Guarapari para planejar ações de reflorestamento nesses locais e prevenir novas secas. (Natália Devens)

Ver comentários