Notícia

Corpo de namorada de PM é encontrado na Rodovia do Contorno. Soldado é o principal suspeito

O namorado de Ana Clara, o soldado da Polícia Militar, Itamar Rocha Lourenço, foi conduzido para a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) onde prestou depoimento

Ana Clara Cabral

O corpo da jovem Ana Clara Cabral, de 19 anos, foi localizado na noite desta quinta-feira às margens da Rodovia do Contorno, na Serra. Ela foi morta com cinco tiros.

 

O namorado de Ana Clara, o soldado da Polícia Militar Itamar Rocha Lourenço foi conduzido para a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

 

Após depoimento, segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), soldado apontou aos policiais onde o corpo da jovem foi jogado, em um matagal que fica às margens da BR 101

 

Itamar Rocha, que  também depôs na Corregedoria da Polícia Militar, foi levado para o Quartel da PM, onde está preso. O advogado de Itamar, David Metzker, disse que seu cliente não vai se pronunciar. “O delegado tomou o depoimento, mas ele só vai falar em juízo”, afirmou Metzker.

  

Ana Clara foi assassinada com dois tiros na cabeça e três nas costas. Ela usava a mesma roupa que vestia em uma foto, postada em uma rede social na noite de quarta-feira. Na imagem está ela e o irmão. Ela, o pai e os irmãos participaram de uma confraternização familiar. Por volta de 23h30 o namorado a buscou e os dois saíram. Foi a última vez que ela foi vista. 

 

O carro do soldado foi encontrado em Nova Rosa da Penha, bairro próximo ao local onde o corpo foi localizado. No veículo havia marca de tiro, manchas de sangue e fios de cabelo loiro. O carro foi levado para a Delegacia de Furtos e Roubo de Veículos, em Vitória. 


Boletim de ocorrência informou que casal tinha sido sequestrado

 

De acordo com a Polícia Civil, um irmão do soldado registrou um boletim de ocorrência online onde informava que o casal tinha sofrido um sequestro relâmpago.

 

A ocorrência dizia que o casal estava saindo de um motel, em Cariacica, quando foi abordado por dois bandidos. Informou ainda que Itamar conseguiu escapar, mas os criminosos fugiram com o veículo e Ana Clara.

 

Peregrinação em busca de ajuda

 

A quinta-feira foi de angústia para a família, que percorreu diversos locais em buscas de respostas sobre o paradeiro de Ana Clara. Assim que soube do desaparecimento da filha, o pai da estudante procurou a polícia, porém não conseguiu informações.

O desespero também tomou conta da mãe de Ana Clara, a administradora Ana Kátia Rodrigues Félix, 45 anos. Ela saiu de Colatina após saber do suposto sequestro da filha. “Fui na casa do Itamar para saber o que havia acontecido, mas não o encontrei. Me disseram que ele estava na Corregedoria, prestando depoimento. Fui até lá e disseram que ele estava com a Polícia Civil. Mas eu liguei para ele e todos negam essa informação. Eu só quero saber onde está a minha filha. Eu sei que a polícia sabe e não quer me falar”, declarou Kátia, que ainda não sabia da morte da filha.

A equipe de reportagem procurou a Corregedoria da PM, porém o corregedor Ilton Borges disse que não tinha permissão para passar informações para a imprensa. A Polícia Civil disse que só se pronunciaria sobre o caso hoje.

 

Velório

 

Por volta das 9h da manhã desta sexta-feira (6), o corpo da jovem foi liberado para o velório, que deve acontecer no cemitério Jardim da Paz, em Laranjeiras, na Serra. O enterro está marcado para às 17h.





 

Ver comentários