Notícia

Delegado afirma não ter dúvidas de que PM matou a namorada

O delegado disse que Itamar não confessou o crime, mas foi contraditório em vários momentos

Delegado José Lopes não tem dúvidas da autoria do crime pelo soldado da PM
Delegado José Lopes não tem dúvidas da autoria do crime pelo soldado da PM
Foto: Gabriela Ribetti - TV Gazeta

O chefe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) do Espírito Santo, José Lopes, disse na manhã desta sexta-feira (6) que não tem dúvidas de que o policial militar Itamar Rocha Lourenço foi o responsável pela morte da namorada Ana Clara Cabral. O delegado disse que ele não confessou o crime, mas foi contraditório em vários momentos.

 

Um amigo do militar disse à polícia que Itamar contou, por telefone, onde estava o corpo da namorada. O advogado do militar, no entanto, disse que seu cliente só vai falar em juízo. 


Itamar está preso no Quartel do Comando Geral (QCG) em Maruípe. Ele foi foi autuado por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e por não ter dado chances de defesa à vítima. O caso será transferido para a Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM).

 

Contradição

 

O delegado José Lopes explicou que Itamar foi contraditório no início das investigações. A princípio, o crime seria conduzido pela Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos.


A Polícia Civil disse que um boletim de ocorrência online informava que o casal tinha sofrido um sequestro. A ocorrência dizia que o casal estava saindo de um motel, em Cariacica, quando foi abordado por bandidos. Informou ainda que Itamar conseguiu escapar, mas os criminosos fugiram com o carro e Ana Clara. O carro do soldado foi encontrado em Nova Rosa da Penha com marca de tiro, manchas de sangue e fios de cabelo loiro.


Na manhã desta sexta-feira, José Lopes disse que após pedir exames dele de pólvora nas mãos e de DNA nas unhas, Itamar ficou muito nervoso e não colaborou mais com declarações. Ainda de acordo com o delegado, no decorrer da tarde, um amigo do militar, que trabalha no Grupo de Operação Táticas (GOT), disse à polícia que recebeu uma ligação de Itamar dizendo que ele tinha feito uma besteira e contou onde estava o corpo da jovem.


Os policiais foram ao local indicado e encontraram o corpo de Ana Clara. A arma utilizada no crime não foi localizada e Itamar não mostrou à polícia a camisa que usava na quarta-feira (4).

 

Dasaparecimento

 

A jovem estava desaparecida desde a noite desta quarta-feira (4). Ana Clara Cabral tinha sido vista pela última vez ao sair de uma reunião de família em companhia do namorado, em Alto Laje, Cariacica.

Antes da informação da morte da filha, o pai da jovem, Elson Cabral Filho, disse que foi procurado pelo irmão do policial na manhã desta quinta-feira. Ele disse que Ana Clara havia sido levada por criminosos durante um assalto sofrido pelo casal, em Cariacica, na Grande Vitória.

 

Corpo de Ana Clara foi encontrado na noite desta quinta na Rodovia do contorno
Corpo de Ana Clara foi encontrado na noite desta quinta na Rodovia do contorno
Foto: Iara Diniz

 

O corpo de Ana Clara foi encontrado em embaixo de uma ribanceira, em um matagal que fica às margens da BR-101, na rodovia do Contorno. Ela usava a mesma roupa que vestia em uma foto, postada em uma rede social na noite de quarta-feira (4). Segundo a perícia da Polícia Civil, foram encontrados cinco marcas de tiros. Dois na cabeça e três nas costas da jovem.

Por volta das 9h da manhã desta sexta-feira (6), o corpo da jovem foi liberado para o velório, que deve acontecer no cemitério Jardim da Paz, em Laranjeiras, na Serra. O enterro está marcado para às 17h.

 

 

Ver comentários