Notícia

"Teste de estresse" mostra se você está prestes a "explodir"

Professora e psicóloga foram submetidas ao exame, que já é aplicado em empresas privadas e será implantado no Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (Notaer), da Polícia Militar

Teste de atenção e estresse foi desenvolvido pelo médico capixaba Hebert Cabral
Teste de atenção e estresse foi desenvolvido pelo médico capixaba Hebert Cabral
Foto: Marcelo Prest

Não é novidade que o estresse pode influenciar diretamente no trabalho de qualquer pessoa. Visando avaliar a capacidade de atenção e concentração das pessoas, o médico capixaba Hebert Cabral desenvolveu um sistema que pode ajudar a evitar acidentes de trabalho e garantir o bem-estar das pessoas em diversas profissões. 

 

O equipamento, chamado de Ferramenta Ocupacional Computadorizada em Saúde e Segurança, funciona como um "detector do nível de estresse" já é utilizado em empresas privadas do Espírito Santo e de outros estados, como Minas Gerais. A novidade é que a partir do próximo mês, a ferramenta será usada pelo Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (Notaer), da Polícia Militar. A iniciativa é inédita na aviação brasileira e foi possível graças a uma parceria entre uma das empresas privadas que utilizam o sistema (e forneceu as máquinas ao Notaer) e os idealizadores do projeto. 

 

Faça o teste

> Teste qual é o seu nível de estresse

 

Nas empresas que adotaram o sistema, os funcionários realizam o teste todos os dias, antes de começar a trabalhar. De acordo com Hebert Cabral, fatores externos como uso de álcool, má qualidade do sono, entre outros problemas, podem influenciar no resultado. "A intenção é medir a capacidade de atenção e concentração, por meio de estímulos visuais na tela do computador. É parecido com um teste psicotécnico. Por isso, é mais utilizado em empresas que têm áreas de risco, em que os funcionários não podem agir por impulso diante de uma situação. Isso ajuda a evitar acidentes de trabalho", esclareceu Cabral. 

 


Teste de atenção

por GazetaOnline

 

Após realizar o teste de reação aos estímulos visuais, as pessoas respondem a um questionário com perguntas relacionadas ao consumo de álcool, a problemas pessoais e à saúde geral do indivíduo. As respostas são mantidas em sigilo. "Embora o sigilo seja garantido, nós conseguimos indicar quando um funcionário precisa de uma atenção especial e atendê-lo de maneira eficaz, por meio de médicos do trabalho, uma equipe capacitada. Isso faz com que a pessoa aprenda a se cuidar, passe a cuidar dos colegas de trabalho e a viver melhor no dia a dia, além da vida profissional", explicou o médico. 

 

O sistema foi originalmente desenvolvido para atender a pacientes com mal de Alzheimer, mas foi adaptado após levantamentos e pesquisas feitas por Hebert. A probabilidade de erro do sistema é de cerca de 5%.

 

Teste

 

Professora da rede pública Celina Campos se submeteu ao teste de atenção e estresse
Professora da rede pública Celina Campos se submeteu ao teste de atenção e estresse
Foto: Marcelo Prest

A convite do

Gazeta Online

, a professora da rede pública Celina Campos aceitou fazer o teste. Com uma rotina agitada em escolas de Cariacica, Celina diz que já passou por períodos mais estressantes no trabalho, principalmente quando dava aulas para o ensino médio. “Tive a oportunidade de voltar para as turmas do ensino fundamental e preferi. Hoje em dia, o estresse causado pelo trabalho é menor, mas ainda existe”, frisa. A professora ainda lembra que a categoria é historicamente desvalorizada, o que agrava o estresse dos profissionais.



O resultado do teste de Celina foi satisfatório, segundo Hebert. A professora errou poucas vezes e recebeu uma mensagem motivadora ao fim da experiência. “Me surpreendi, porque vi que apesar de me sentir um pouco estressada, não perdi tanto a atenção durante o teste. Acho que seria muito válido se o poder público resolvesse investir mais nisso”, disse a professora.



A psicóloga Paula Pavan também foi submetida ao exame e teve bom resultado
A psicóloga Paula Pavan também foi submetida ao exame e teve bom resultado
Foto: Marcelo Prest

Ainda de acordo com Hebert, até mesmo os funcionários que obtêm bons resultados no teste recebem mensagens de motivação. “A ideia é motivar, sempre. É fazer com que a pessoa saiba que, mesmo indo bem, pode buscar ser ainda melhor”.

 

A psicóloga Paula Pavan também foi submetida ao exame e teve um resultado muito bom, de acordo com o especialista. "Geralmente, meu ritmo de trabalho é tranquilo. Surgem alguns imprevistos, mas nada que saia do controle, nada tão estressante. Mas enxergo a ferramenta como algo preventivo. Vejo que é possível, por exemplo, evitar que acidentes aconteçam em áreas de mais risco. É fundamental orientar funcionários que não têm hábitos saudáveis, por exemplo, até para a melhoria da qualidade de vida do mesmo", opinou a psicóloga.

Ver comentários