Notícia

Assalto em semáforos aterroriza motoristas. Veja como se proteger

Municípios tentam reduzir riscos deixando sinais em amarelo

Quem dirige sabe a tensão que é parar em um sinal vermelho durante a noite. Casos não faltam na Grande Vitória para reforçar o medo. Um dos mais recentes ocorreu na Rodovia Norte Sul, na altura de Jardim Camburi, na Capital, no final de maio, quando levaram o carro de um comerciante.


Enquanto motoristas vivem aterrorizados, os municípios tentam adotar, cada um à sua maneira, estratégias para aliviar a violência nos semáforos. O principal deles é o uso do sinal amarelo constante durante a noite e a madrugada.

 

Avenida Norte Sul, em Jardim Camburi
Avenida Norte Sul, em Jardim Camburi
Foto: Ricardo Medeiros


Os sinais de cinco avenidas de Vitória estão programados para ficar piscando no amarelo, das 23h30 às 5 horas. São elas: Fernando Ferrari, Nossa Senhora da Penha, Maruípe, Vitória e Jerônimo Monteiro.


Nas Avenidas Dante Michelini, Saturnino de Brito, Américo Buaiz e Elias Miguel, onde fica o Porto de Vitória, os semáforos possuem um dispositivo chamado controlador de tráfego, segundo a Secretaria Municipal de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana (Setran).


O dispositivo se programa automaticamente de acordo com a demanda de veículos na via. O ajuste do semáforo é feito em tempo real, a partir da quantidade de veículos. A contagem é feita por sensores instalados sob o asfalto. Além disso, há 122 câmeras de videomonitoramento.


O gerente e engenheiro de Trânsito de Cariacica, Mauricio Reys, informa que, por motivo de segurança, todos os sete semáforos do município entram em modo amarelo piscante a partir das 23h. Eles ficam nas avenidas Expedito Garcia, em Campo Grande; Espírito Santo, em Jardim América; e Alice Coutinho, que corta os bairros Bela Aurora e Maracanã.


Na Serra, por questão de segurança, os semáforos ficam menos tempo fechados à noite. Onde não há fluxo intenso de veículos, os sinais ficam piscando em amarelo a partir das 23 horas.


Além disso, têm planos que se adequam às diversas situações recorrentes do dia a dia, como horário de pico e fluxo de veículos.


Em Vila Velha, os aparelhos são programados a partir da avaliação dos engenheiros de trânsito para a via e sempre respeitando o que determina o Código de Trânsito Brasileiro.

Foto: Ricardo Medeiros

A professora de Educação Física Jeniffer Lubiana Campos, 28 anos, não anda com o vidro do carro aberto à noite. “Nunca paro, sempre reduzo. Tenho receio”, afirma Jeniffer.

Alguns casos de violência na Grande Vitória


Perigo no sinal
Vitória
28/05/2015
Comerciante de 40 anos assaltado foi em Jardim Camburi. Teve o veículo, um Corsa, levado pela Avenida Norte Sul, por volta das 21h50. Ele foi abordado por dois homens em uma moto ao parar num semáforo próximo a um shopping.

25/05/2015
Dois ladrões com toucas ninja assaltaram um encarregado de obras de 50 anos quando ele parou com o carro em um semáforo, em Jardim Camburi. Os bandidos chegaram a pé para praticar o assalto.

Vila Velha
23/04/2015
Um procurador de Justiça de 69 anos sofreu sequestro relâmpago e ficou duas horas trancado no porta-malas do carro. Ele foi rendido, por volta das 7h, num sinal fechado, na Praia da Costa, em Vila Velha, e depois deixado em Cariacica.

25/12/2014
Um comerciante, 35 anos, foi assaltado e teve o carro roubado em Cobilândia, ao parar em um semáforo na Avenida Carlos Lindenberg.

Serra
24/03/2015
Um casal foi assaltado por cinco adolescentes ao parar com o carro em um semáforo no bairro Civit II, na Serra. O bando chegou num Monza que havia sido roubado horas antes.

10/10/2014
Um assistente técnico, 55 anos, parou com o carro em um semáforo, na Rodovia do Contorno, em Carapina, e teve o veículo roubado por bandidos que lhe apontaram uma arma.

Cariacica
06/03/2015
Costureira de 43 anos levava a filha de 15 anos à escola quando uma moto a fechou no semáforo, em Vila Rica, Cariacica. O carro, um Space Fox preto, foi levado.

Foto: Ricardo Medeiros

Depois das 22 horas, o marceneiro Francisco Antônio de Almeida, 28 anos, diminui a velocidade do carro até que o semáforo abra de novo. “Dou uma distância do carro da frente.”

Especialistas condenam semáforo amarelo piscante na madrugada

Embora seja a principal estratégia aplicada por municípios da Grande Vitória para evitar o ataque de bandidos a motoristas durante a madrugada, o uso do sinal amarelo piscante não é o mais indicado, segundo especialistas.

“Alguns municípios colocam amarelo piscante, mas não acho uma estratégia capaz de minimizar os riscos. Porque o farol é piscante para ambos os lados. Você tem que praticamente parar para olhar os dois lados”, diz o delegado e especialista em segurança pública e privada Jorge Lordello.

“Aí você abre um campo para o assalto. O ladrão sabe que você vai ter que reduzir a velocidade”, acrescenta Jorge Lordello.


Ele condena ainda a ultrapassagem do sinal vermelho. “Pode provocar acidentes e atropelamentos”, exemplifica Lordello.


Outro problema ao tentar avançar o sinal é acabar parado na faixa de pedestres, o que vai chamar mais atenção de assaltantes.


Ele indica que o motorista adote práticas próprias para evitar chamar a atenção durante a madrugada, inclusive se houver a necessidade de parar no sinal vermelho.
Uma delas é a de observar à distância o semáforo. Se ficar vermelho, a dica é diminuir a velocidade, trafegar na pista do meio e estar pronto para seguir quando o sinal liberar. “Isso é para que você dificulte a abordagem na hora que ficar verde”, explica o delegado.


Mas se não houver jeito e o motorista tiver que parar, o ideal é que faça isso bem antes do semáforo, encostar do lado direito, distante da faixa de pedestres, já que é para esse local que o assaltante geralmente direciona sua atenção.


O engenheiro especialista em trânsito Paulo Lindoso alerta para o perigo do pisca alerta durante a madrugada. “Quando há nivelamento de tempo de uma via superior com uma inferior, é difícil a pessoa se acostumar”, diz Lindoso, que é presidente do Instituto Brasileiro de Estudos do Trânsito (Ibetran).


Ele diz que o ideal é colocar alerta para os motoristas com avisos sobre o nivelamento da velocidade nas pistas que se cruzam.


Lindoso acrescenta que a estratégia de segurança de cada semáforo vai depender de diversos fatores, como a iluminação da via, o fluxo de carros e a localização.

Fique atento

Horários mais visados
Dependendo do objetivo, os horários de mais assaltos mudam. Nos momentos de engarrafamento, a intenção é levar pertences que estejam dentro do veículo
Na madrugada, a intenção é roubar o carro ou praticar sequestro relâmpago

Para os motoristas
Os condutores devem evitar parar nas duas primeiras faixas próximas à passagem de pedestres. Esses são os locais mais visados pelos bandidos

Os ataques dos bandidos acontecem geralmente pela lateral esquerda do veículo, em motos ou disfarçados de pedintes ou vendedores. Trafegue com portas e vidros fechados, com películas escuras nos vidros e objetos pessoais, como bolsas, escondidos

Sinal vermelho
Evite ultrapassar o sinal vermelho, por causa do risco de acidentes
Ao ultrapassar indevidamente, há o risco também de parar na faixa de pedestres, o que vai chamar mais atenção de bandidos

Sinal amarelo
Especialistas apontam que manter sinal amarelo na madrugada não é a melhor estratégia. Por estar amarelo para os dois lados, é necessário parar para verificar a segurança da via, o que também deixará o motorista vulnerável

Opções
Em ruas sem movimento à noite, observar o semáforo à distância, trafegar na pista do meio, diminuir a velocidade para não ser necessário parar quando o sinal ficar vermelho. Se tiver que parar, o faça bem antes do sinal, do lado direito
da pista

Durante o dia
Evite parar nas duas faixas próximas à faixa de pedestres e do lado esquerdo da pista. Em carros sem ar-condicionado, feche o vidro ao parar no sinal

Ver comentários