Notícia

Os bairros com mais casos de zika em Vitória, Vila Velha e Cariacica

Até bairros considerados nobres aparecem entre os líderes de registros

As prefeituras de Vitória, Vila Velha e Cariacica divulgaram a relação dos bairros com maiores registros de zika vírus. Só nestas três cidades estão 12 dos 13 casos confirmados da doença. As notificações já somam 1.507 em todo o Estado, de acordo com último boletim da Secretaria Estadual de Saúde.

Na capital, os bairros Nova Palestina, Praia de Santa Helena e Jardim Camburi ocupam o topo do ranking. Segundo a gerente de vigilância e saúde de Vitória, Arlete Dutra, há prioridade nestes locais para eliminar focos de mosquito. “Priorizamos nossas ações nestes bairros com maior número de casos. Intensificamos a visita de agentes e realizamos mutirões para que eles não se tornem reincidentes”, declarou.

Nova Palestina está no topo da lista, com 21 suspeitas dos 291 casos registrados na capital. De acordo com Arlete, há características no local que contribuem para a incidência do zika vírus. “São bairros com população aglomerada, que há construções adaptadas, muito próximas uma das outras. Por isso é tão importante que os moradores fiscalizem e eliminem possíveis focos do mosquito”, completou.

Em Vila Velha, os bairros Soteco, São Torquato e Praia da Costa detêm a maioria das notificações. Já em Cariacica, Campo Grande se destaca com maior número de registros. Ambos os municípios têm um caso já confirmado de zika vírus.

Bairros nobres

Na relação divulgada pelas prefeituras, os bairros considerados nobres aparecem entre os primeiros lugares em número de notificações. No caso de Vila Velha, Praia da Costa e Coqueiral de Itaparica ocupam o terceiro e quarto lugares respectivamente. A gerente de Vigilância e Saúde do Estado, Gilsa Rodrigues, comenta que nesses lugares há uma tendência das famílias não se preocuparem tanto em monitorar e eliminar focos do Aedes aegypti.

“As pessoas têm uma ideia equivocada de que nestes locais considerados nobres não há focos de mosquito. E é por causa desse pensamento que os registros acabam sendo frequentes. Muitos acham que não têm que se preocupar em fiscalizar e isso acaba sendo a oportunidade de um mosquito se reproduzir. Todos precisam se empenhar”, explicou.

Boletim

Zika Vírus

Casos suspeitos

No último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde 1.507 casos suspeitos haviam sido notificados.

Casos confirmados

13 casos foram confirmados em laboratório. 10 em Vitória, 1 em Vila Velha, 1 em Cariacica e 1 em Aracruz.

Bairros com mais casos de zika

Vitória

Nova Palestina, Praia de Santa Helena, Jardim Camburi, Itararé e Santo Antônio.

Vila Velha

Soteco, São Torquato, Praia da Costa, Coqueiral de Itaparica, Centro, Itapuã, Normília, Glória.

Cariacica

Campo Grande, Nova Rosa da Penha, Santana, Cruzeiro do Sul e Porto de Santana.

Microcefalia

Já são 53 bebês com suspeita de microcefalia (entre nascidos e em gestação)

Dengue

Foram 5.904 casos de dengue de 3 a 23 de janeiro. Quatro são suspeitos da forma grave.

Repelentes

Total

75 mil repelentes foram comprados para distribuir às grávidas de todos os municípios do Espírito Santo.

Já chegaram

10 mil deles chegaram na quinta-feira e já foram encaminhados aos municípios. Os outros 65 mil devem chegar até o fim de fevereiro.

Distribuição

A distribuição deve começar na segunda-feira. Os repelentes serão entregues durante a consulta de pré-natal das gestantes. As que já fizeram a consulta poderão ir até o posto e pedir o produto. Serão distribuídos dois frascos por mês.

Quem pode receber

Todas as gestantes que fazem acompanhamento de pré-natal pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Repelentes para grávidas serão entregues a partir de segunda (1º)

O governo já recebeu 10 mil dos 75 mil repelentes comprados para distribuir às grávidas de todos os municípios do Espírito Santo. A entrega nas unidades de saúde deve começar na segunda-feira. A previsão é que até o fim do carnaval todos os locais estejam abastecidos com os repelentes.

A gerente de Vigilância e Saúde do Estado, Gilsa Rodrigues, explicou que somente grávidas que fazem o pré-natal pelo SUS receberão os repelentes. Serão distribuídos dois fracos de 200 ml por mês. “Pelo nosso cálculo este número é suficiente para a grávida no primeiro mês. Os outros 65 mil vão chegar até o fim de fevereiro para que o produto não falte nas unidades de saúde”, comentou.

As gestantes que já fizeram a consulta de pré-natal podem ir até as unidades e pedir os frascos. Os municípios farão um controle das entregas e enviarão relatórios para a Secretaria Estadual de Saúde. “Sabemos que o repelente é deixado de lado por muitas pessoas que não têm condição financeira, por isso a importância de distribuirmos o produto. Estaremos monitorando as entregas e intensificando as ações para eliminar os focos”, concluiu Gilsa.

Exército vai reforçar o “Dia D” contra o mosquito

O ‘Dia D’ de combate ao mosquito Aedes aegypti no Espírito Santo, vai acontecer no dia 13 de fevereiro e contará com a ajuda de 603 homens do Exército. A informação foi repassada pelo capitão Kirchmaier, que esteve presente, ontem, na reunião do Gabinete de Monitoramento de Combate ao mosquito, no auditório da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), em Vitória.

Também ficou decidido, conforme informou o secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira, que na próxima semana acontece uma reunião envolvendo, além da Sesa, representantes do Exército, Marinha, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil Estadual e delegados do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Espírito Santo (Cosems-ES), para definir a estratégia para o Dia D contra o mosquito.

“ Agora, os gestores têm de fazer um levantamento de quais municípios estão precisando mais de nossa colaboração”, disse o capitão do Exército.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira, o Dia D tem como um dos objetivos básicos a mobilização da população para eliminar os focos do mosquito. “O espírito da ação é esse mesmo. Temos de lembrar incansavelmente às pessoas que elas devem uma vez por semana, sempre no mesmo dia, eliminar os possíveis focos do mosquito Aedes aegypti que estejam em suas casas”, reforçou.

Ver comentários