Notícia

Terceiro mês de poluição fora dos limites em Vitória

Na Capital, os níveis de poluição por pó preto voltam a bater recorde

A poluição por pó preto volta a atingir níveis críticos em Vitória. Pela terceira vez consecutiva, eles ultrapassaram os limites. E é o segundo mês em que eles ficaram acima dos padrões em todas as estações de monitoramento localizadas na Capital.

Das cinco estações de Vitória, quatro apresentaram um aumento do volume de poeira em relação às medições feitas em novembro. A exceção foi a estação localizada no Clube Ítalo. As demais ficaram bem acima dos níveis de dezembro.

Os piores índices de poeira sedimentável – mais conhecida como pó preto – são os da Enseada do Suá, que tem mantido um histórico crítico. No mês de dezembro, a estação de monitoramento do bairro registrou 16,1 gramas medido em um metro quadrado, durante um mês.

Ficou acima não só o limite municipal para a estação, que é de 11,61g/m2/mês, mas também do limite estadual, que é de 14g/m2/mês. Se consideradas todas as estações localizadas na Grande Vitória, é a que apresentou o maior nível deste tipo de poluição.

A segunda estação com maiores índices é a de Jardim Camburi que, desde o mês de novembro, vem registrando níveis mais elevados. Chegou a 14,5 g/m2/mês, acima até mesmo do padrão estadual.

Ao serem comparadas com as medições do ano anterior, as de dezembro de 2015 são mais elevadas em todas as estações de Vitória e até da Região Metropolitana.

O secretário de Meio Ambiente de Vitória, Luiz Emanuel Zouain diz que os números voltam a justificar as ações do município. “Medições como esta nos levaram a multar as empresas. Até agora não tivemos respostas das notificações. Mas multas aplicadas desde 2001 ainda não foram pagas”, destacou.

O presidente da Juntos SOS ES Ambiental, Eraylton Moreschi Junior, observa que os dados do monitoramento deixam claro que a legislação ambiental não está sendo cumprida. “Mês a mês os dados só aumentam”, pondera.

Moreschi destaca ainda que o monitoramento do mês de janeiro tende a apresentar índices bem elevados de poluição, semelhante ao do ano passado, quando a estação no bairro Praia do Suá registrou 20,7g/m2/mês.

Ver comentários