Notícia

Novas vítimas denunciam "Rei do Camarote"

Após a prisão de Nelson Avidos Magalhães Filho, mais 15 pessoas procuraram a polícia dizendo que foram lesadas pelo empresário

Nelson Avidos Magalhães Filho foi preso dentro de uma boate, em Vila Velha, acusado de aplicar vários golpes
Nelson Avidos Magalhães Filho foi preso dentro de uma boate, em Vila Velha, acusado de aplicar vários golpes
Foto: Mayra Bandeira

Ostentação em baladas bancada por golpes. Era essa a forma que o empresário Nelson Avidos Magalhães Filho, 28 anos, curtia festas na Grande Vitória, segundo a Polícia Civil.

Ele foi preso na última segunda-feira acusado de estelionato após investigação da Delegacia de Defraudações e Falsificações (Defa). Ontem, após a divulgação da prisão dele, mais 15 vítimas entraram em contato com a delegacia, sendo quatro de fora do Espírito Santo.

Dono da boate Adega Music, na Praia do Suá, em Vitória, o empresário foi preso dentro de uma boate em Itapoã, Vila Velha. Segundo a delegada Rhaiana Bremenkamp, da Defa, somando todos os golpes, Nelson teria faturado mais de R$ 1 milhão.

As cifras que Nelson teria embolsado, segundo a polícia, pode ser ainda maior. Ontem, mais de 15 pessoas procuraram a delegacia ou entraram em contato com a delegada afirmando terem sido vítimas do empresário.

“Há quem perdeu até R$ 200 mil. A maior parte é do golpe do carro. Ele oferece o veículo, chega a mandar fotos, e, após receber o valor, não entrega o carro e, em alguns casos, chega a fingir que devolve o valor, repassando cheques sem fundo”, detalhou Rhaiana Bremenkamp.

Os números de casos surpreendeu até a polícia. Quatro vítimas são de Minas Gerais e também já entraram em contato com a Polícia Civil capixaba.

depoimentos No relato das vítimas, algumas descrevem que ele sequer se intimida com a presença das pessoas no mesmo ambiente. Em festas em que encontrava as vítimas, Nelson ia ao encontro delas intencionalmente.

“Ele ainda dizia às vítimas que sabia que devia dinheiro à elas, mas que logo pagaria”, contou a delegada, que contou que até mesmo um comprovante de depósito falso foi enviado para uma das vítimas.

As vítimas serão ouvidas e os relatos anexados ao inquérito em que Nelson está sendo apontado como autor dos golpes. Em depoimento, ele negou ter mentido para as pessoas ou mesmo ficado com o dinheiro delas.

Ver comentários