Notícia

Intérprete de escola de samba morre atropelado ao sair de ensaio em Vitória

Carlos Henrique Pimentel, conhecido como Pelé, cantou na Império de Fátima, Independente de Boa Vista e Barreiros

Um intérprete de escola de samba foi atropelado e morreu quando saía de um ensaio, na noite deste domingo (3). O acidente aconteceu na Avenida Marechal Campos, em Vitória. De acordo com testemunhas, o motorista fugiu do local.

Carlos Henrique Pimentel, conhecido como Pelé, havia acabado de cantar no ensaio da Unidos de Jucutuquara.

O intérprete cantou na Império de Fátima no carnaval de 2016 e tinha passagens por escolas como Independente de Boa Vista e Barreiros. Ele também foi dos Grupos Garotos da Boa e Sambaeh.

Repercussão

Nas redes sociais, vários sambistas capixabas e as páginas oficiais das agremiações carnavalescas emitiram notas lamentando o falecimento do músico, que era uma das promessas entre os cantores do carnaval de Vitória.

"É com muito pesar que comunicamos o falecimento do nosso intérprete oficial. A comunidade da Rosas está de luto e o mundo do samba também", informou a nota emitida pela escola Rosas de Ouro.

A Boa Vista, em sua página oficial no Facebook, exaltou o caráter "irretocável" do profissional. "Profissional competente e braço forte da Boa Vista, Pelé participou brilhantemente do conjunto musical da azul, vermelho e branco de Cariacica ao longo de vários carnavais, assinando seu nome na história da Boa Vista".

A Mocidade Unida da Glória (MUG) lembrou dos inúmeros amigos que Pelé tinha no carnaval. "Com um futuro promissor pela frente, o intérprete Carlos Henrique Pimentel, o Pelé como era carinhosamente conhecido, deixa para nós uma trajetória de amizades e muito talento por onde ele passava. O samba amanheceu triste".

A Unidos de Jucutuquara, que foi a última escola em que Pelé cantou, horas antes do falecimento, agradeceu pela alegria de sempre do intérprete. "Ontem nos deixou, e nós sentiremos imensas saudades. Agradecemos todo o brilhantismo e alegria que nos proporcionou".

A Pega no Samba, que cedeu sua quadra para o velório, também divulgou nota prestando condolências à família de Carlos Henrique. "Querido desta agremiação e comunidade, querido do Carnaval Capixaba. Desejamos conforto e oferecemos nossos mais sinceros sentimentos à família.".

Outras escolas de samba, além da Liga Espírito-Santense das Escolas de Samba (Lieses) também prestaram homenagens ao cantor nas redes sociais.

Ver comentários