Notícia

Seca no Espírito Santo: "O pior já passou"

Após dois anos de influência do El Niño, a volta do fenômeno oposto, a La Niña, traz chuva para o Estado

O Rio Santa Maria durante a seca no Espírito Santo
O Rio Santa Maria durante a seca no Espírito Santo
Foto: Reprodução TV Gazeta

Os meses de verão podem trazer alívio para os capixabas que sofreram com a forte seca nos últimos dois anos. Segundo o meteorologista do Climatempo, Alexandre Nascimento, o início de 2017 será bem diferente. "O pior da seca no Espírito Santo já passou", afirmou.

Ele explica que o clima do Espírito Santo sofreu com a estiagem devido à forte influência do El Niño, que foi o mais forte dos últimos 100 anos. O aquecimento das águas do oceano Pacífico impediu a umidade de chegar ao Estado. No entanto, desde novembro, estamos sob a influência do fenômeno oposto, La Niña, que favorece a chuva.

"Deve chover ao longo da segundo quinzena de janeiro e, em seguida, a chuva dá uma trégua. Em fevereiro pode chover um pouco abaixo da média considerada normal, mas em março isso é compensado com chuva acima do normal", explicou o meteorologista.

Alexandre Nascimento, no entanto, faz um alerta. "O solo está muito danificado pelo longo período de seca e as chuvas que estão por vir são um prato cheio para deslizamento de encostas e quedas de barreiras". 

TEMPERATURA

O verão de 2017 também promete ser menos quente do que o dos últimos dois anos. "Vamos ter muitos períodos alternados. Serão dias de calor intenso típico da estação intercalados com dias de chuva e temperatura mais amena", esclarece.

Também não há previsão de falta de chuva nos reservatórios do Sudeste, inclusive no Espírito Santo.

Ver comentários