Notícia

"Estamos priorizando casos mais graves", afirma secretário de Segurança

O policial que tiver participação confirmada nas manifestações que estão impedindo policiamento será punido, garantiu o secretário André Garcia

André Garcia afirmou que policiais envolvidos no protesto podem ser punidos
André Garcia afirmou que policiais envolvidos no protesto podem ser punidos
Foto: Reprodução

O secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (SESP), André Garcia, manifestou preocupação com as manifestações que acontecem desde a manhã deste sábado (4).

Familiares de policiais militares impedem a  saída de viaturas dos batalhões da PM de todo o Estado

 desde as 6 horas. 

André Garcia, pede que haja compreensão por parte do movimento. Segundo ele, como os policiais não estão saindo dos batalhões, há ocorrências se acumulando no Centro Integrado Operacional de Defesa Social (CIODES). 

As demandas estão sofrendo represamento e os atendimentos estão sendo feitos hierarquicamente. "Há prejuízo no atendimento, por conta do número de viaturas. Mas, estamos realizando como sempre fizemos: priorizando os casos mais graves", afirma o secretário.

André Garcia disse ainda que, se constatada a participação de policiais na manifestação, eles podem sofrer punição. Os policiais militares são proibidos pelo Código Penal Militar de protestar, fazer greve ou paralisação. "Se for possível constatar participação ativa dos policiais, há punição. Mas, estamos trabalhando primeiro para resolver o problema. É preciso que haja compreensão por parte do movimento. O serviço policial é essencial, até para os próprios familiares dos policiais", afirmou. 

A secretaria não informou a quantidade exata de batalhões que estão sendo afetados pela manifestação. "Estamos usando como alternativa outros tipos de modalidade policial, como bike e moto", disse o secretário. 

Ver comentários