Notícia

Mulheres de PMs se reúnem com o governo em nova rodada de negociações

A reunião aconteceu no Palácio da Fonte Grande, no Centro de Vitória, e durou mais de 10 horas

Após 10 horas, terminou a rodada de negociação entre membros do Governo e representantes das esposas dos policiais militares para que a saída dos militares dos batalhões sejam desbloqueadas. A reunião aconteceu no Palácio da Fonte Grande, no Centro de Vitória. 

Por volta de meia-noite, duas mulheres que participavam da reunião saíram do prédio, informando à imprensa que a reunião havia se encerrado sem acordo. No entanto, outras cinco mulheres e secretários continuaram dentro do Palácio. Por volta de 1h30, uma terceira representante das mulheres disse que não houve acordo porque em momento algum o governo teria citado sobre reajuste salarial. (veja ata da reunião abaixo)

"Em nenhum momento dão garantia de que o reajuste sairia. Nós já perdemos muitos nas ruas, já são 115 mortes, mas o governo não está vendo o tamanho da emergência que a gente de resolver isso", disse.

Atas da reunião
Atas da reunião
Foto: SECOM
Atas da reunião
Atas da reunião
Foto: SECOM

A imprensa não teve acesso à sala de reunião, mas aguardou em frente ao Palácio o fim do encontro que durou mais de 10 horas e que poderia resultar na volta dos PMs às ruas, caso houvesse um acordo.

TENTATIVAS DE NEGOCIAÇÃO

Na noite desta quarta-feira (8), em uma outra reunião que durou cerca de três horas, as manifestantes entregaram uma proposta pedindo 43% de aumento. Elas pediram também que nenhum policial militar seja punido pelos dias de paralisação. Na reunião desta quinta-feira, o governo apresenta uma contraproposta às manifestantes. 

A comissão de negociação criada pelo estado é formada pelos secretários Júlio Pompeu, de Direitos Humanos, José Carlos da Fonseca, da Casa Civil, Eugênio Ricas, de Controle e Transparência, Paulo Roberto Ferreira, da Fazenda.

As associações que representam os militares também participaram da reunião.

Ver comentários